Relogio Com Comentario

VERSÍCULO DO DIA

sábado, 20 de agosto de 2011

CATOLICISMO ROMANO E SUAS HERESIAS

INTRIDUÇÃO: Século XXI, todos nós temos constatado que esse é o século da tecnologia, da internet, do computador e da era digital, o que concordamos em numero genero e grau, e ousamos afirmar que muitas evoluções e inovações estão por vir, pois o homem tem uma inteligência fora do comum, capaz de descobrir coisas que ele mesmo se surpreende. O que infelizmente ja não podemos afirmar no que diz respeito aa HERESIAS, OS FALSOS PROFETAS e seus ensinos distorcidos, os séculos passaram, a ciência evoluiu, a tecnologia enfim, em tudo houve uma grande evolução, no entanto a forma maléfica de se ensinar e propagar as HERESIAS continua a mesma, sempre tentando distorcer as verdades da BIBLIA SAGRADA, mudam-se as táticas, as roupagens, porem o conteúdo é sempre o mesmo, ENSINO FRAUDULENTO, DESPROVIDO DA VERDADE BIBLICA. Analisemos os ensinos de uma das mais conhecidas e frequentada igreja, que inclusiva toma para si o titulo de a única verdadeira, Fato que com uma simples consulta ao texto sagrado, podemos sem muita dificuldade verificar que o que dizem não passa de uma fraude e tentativa de conter e impedir a propagação da verdadeira palavra de DEUS.

ENSINOS DO CATOLICISMO
1.   A Igreja Católica é a única Igreja de Cristo. E, portanto, fora dela não há salvação.
2.  A missão de Jesus não é salvar os pecadores, mas sim, julgá-los e puni-los. Quem tem por ofício nos salvar, é Maria, não Cristo.
3.   As estátuas de Maria podem chorar sorrir, sangrar, exalar fragrância e até falar.
4.  Maria morreu para nos salvar, ressuscitou dentre os mortos e subiu ao Céu em corpo e alma, onde, como Rainha junto ao Rei, intercede por nós junto a Cristo. (Aliás, a suposta ressurreição de Maria já é doutrina de fé, mas ainda não é artigo de fé, isto é, dogma. Logo, se algum católico crer que ela foi assunta ao Céu, sem passar pela morte, não será, por isso, excomungado.)


   5.  Maria, a quem o Pai deu o ofício de nos salvar, é:
   Ø  A verdadeira medianeira entre Deus e os homens.
   Ø  A única advogada dos pecadores.
   Ø  Nosso único refúgio.
   Ø  A salvadora da humanidade.
  Ø  A porta de acesso ao Céu, pela qual, todos os que se salvam, têm que passar.
   Ø  A escada do Paraíso.
   Ø  O caminho que conduz a Deus.
Ø  Nossa Corredentora.
Ø  Nossa Senhora.
Ø  Nossa Mãe; entre muitos outros.

Sobre o perdão dos pecados, a Igreja Católica prega o seguinte:
1.    O perdão dos pecados não anula a sentença do pecador, mas tão-somente diminui a pena; por cujo motivo, para cada pecado perdoado há uma pena a ser cumprida. Logo, o perdoado não poderá entrar no Céu sem antes cumprir a pena devida pelo pecado já perdoado. Além disso, ter-se-á que se tornar perfeito.
2.    A pena devida pelo pecado já perdoado pode ser cumprida neste mundo através de boas obras e/ou sofrimentos. Mas, se não for cumprida aqui na Terra, sê-lo-á no além-túmulo, no estado chamado purgatório.
3.    Há um expediente chamado indulgência, que se divide em duas: plenária e parcial. Esta diminui a pena que o perdoado tem que cumprir antes de entrar no Céu; e aquela elimina todas as marcas deixadas pelo pecado já perdoado. Portanto, a menos que o portador de uma indulgência plenária ainda não tenha se tornado perfeito, à morte irá direto para o Paraíso Celestial.
4.    Os recém-nascidos não batizados não são filhos de Deus, mas sim, escravos do poder das trevas e estão debaixo do poder do Maligno. E, se morrerem sem o batismo, vão para um lugar onde não podem ver a face de Deus. Neste lugar, tais criancinhas vivem um estado chamado Limbo, do qual talvez possam sair um dia.
Sobre a Bíblia, a Igreja Católica prega o que:
1. Só o Papa pode interpretar corretamente a Bíblia. E sua pronunciação da mesma é isenta de todo e qualquer erro. Logo, quando, neste caso, nossa interpretação não coincide com a dele, invariavelmente o erro está em nós. E, sendo assim, todos, inclusive os bispos, devem duvidar da autenticidade de possíveis conclusões pessoais opostas à pronunciação hermenêutica de Sua Santidade, já que, neste caso, o Papa é infalível.
2.  A Bíblia dos evangélicos é incompleta e indigna de confiança. É incompleta porque não contém os Deuterocanônicos, que eles chamam de Apócrifos; e é indigna de confiança porque não desfruta do IMPRIMATUR de uma autoridade católica, isto é, o próprio Papa ou um Bispo ordenado pelo sucessor de São Pedro.
3.    A Bíblia, além de conter erros, não é a única fonte de fé do cristão, visto que Deus nos deu também a Tradição (isto é, a pregação de Jesus Cristo que não foi escrita, mas transmitida oralmente através dos séculos, pelo clero da Igreja católica) e o infalível Magistério da Igreja (o Papa e os Bispos), o único encarregado por Deus de interpretá-la corretamente.
4.    Embora a Bíblia e a Tradição constituam “um só sagrado depósito da Palavra de Deus”, a Tradição está acima da Bíblia.
5.    Os Bispos também são infalíveis na interpretação da Bíblia, mas só enquanto em comunhão com o Papa. Consequentemente, se um bispo pronunciar contra uma declaração ex-cátedra de Sua Santidade, demonstrará, com isso, que já não está em comunhão com o sucessor de São Pedro; e que, portanto, não deve ser seguido, visto estar claro que já perdeu o carisma de infalibilidade com a qual Cristo dotou o Magistério da Igreja.
6.    Diferentemente dos Bispos e seus superiores hierárquicos, os Padres não são infalíveis, pois não receberam de Deus o ofício de interpretar a Bíblia, mas sim, o de repetir aos ouvidos de seus fiéis, o que foi decidido pelo infalível Magistério da Igreja. E aos leigos compete acatar, sem questionar, visto que nenhuma das pronunciações Bíblicas de Sua Santidade está em discussão.
OUTROS ENSINAMENTOS
1-    O pão (hóstia) da Eucaristia (que nós, os evangélicos, chamamos de Santa Ceia do Senhor), devido à transubstanciação, não é um símbolo do corpo de Cristo, mas sim, o próprio Jesus. A hóstia é Jesus Cristo completo, com Seu corpo, Sua alma, Seu sangue, Sua divindade... Santo Tomás de Aquino cria que até os ossos, nervos, e tudo o mais, de Cristo, estão presentes na hóstia. E a esse “Jesus” transubstanciado, também chamado de Jesus Eucarístico, os clérigos católicos prestam o culto supremo de adoração, devido somente a Deus, já que Cristo é Deus, e a hóstia é Cristo. Ademais, embora esteja escrito na Bíblia “coma deste pão e beba deste cálice”, os Papas definem, com sua autoridade apostólica, que beber o vinho não é necessário aos fiéis leigos, podendo ser bebido apenas pelos clérigos.

2-    Os espíritos dos mortos podem se comunicar com os vivos e até pedir missas.

3-   Embora o apóstolo Paulo tenha dito que “convém que o Bispto seja marido de uma só mulher”, do que se depreende que havia Bispos casados na Igreja Primitiva, decidimos _ com a nossa autoridade apostólica _ por conferir o Sacramento da Ordem somente aos que optam pelo celibato. E para tanto nos respaldamos no próprio apóstolo Paulo, que também reconheceu que o celibato é o que há de melhor para os vocacionados ao Santo Ofício Pastoral.

4-   Um casamento autêntico _ isto é, celebrado por um Padre, dentro dos moldes do Catolicismo _, só será desfeito mediante a morte de um dos cônjuges. Logo, os que, nesta condição, se divorciaram _ mesmo por terem sido traídos por seus respectivos cônjuges adúlteros _ e contraíram novas núpcias, estão em pecado de adultério. E Jesus asseverou que os adúlteros não herdarão o Reino de Deus. Portanto, os tais não podem (até que se corrijam) comer a hóstia;

5- O culto que a santa Igreja Católica presta a Maria e aos demais santos, quer direto, quer indiretamente (através de suas imagens), não é um ato idolátrico _ como erroneamente o supõem os protestantes _, já que não cultuamos aos deuses, e sim, aos santos. O culto às imagens dos santos difere do culto aos deuses, praticado pelos pagãos e proibido pelas Sagradas Escrituras. Não é difícil perceber a grande diferença existente entre o culto aos deuses, prestado pelos pagãos, e o culto que nós, os católicos, devotamos à Mãe de Deus e aos demais santos. Ao culto a Maria e aos demais santos, chamamos, respectivamente, de hiperdulia e dulia; ao passo que ao culto de adoração devido só a Deus, damos o nome de latria. Sim, não adoramos aos santos, mas tão-somente lhes prestamos culto, isto é, veneração. Realmente, só Deus é digno de adoração. E, por isso mesmo, só tributamos o culto latrêutico, a Deus.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Podemos ver claramente que tais ensinos, doutrinas e dogmas aqui apresentados quando colocados e confrontados com a Bíblia Sagrada que é a Palavra de Deus não registem e logo caem por terra, ficando assim claro que o intento dos lideres da igreja católica romana não é outro senão alimentar seus próprios interesses pessoais, financeiros, e promover a causa do inimigo da IGREJA DE CRISTO, que é roubar-lhe a devida GLORIA, a quem nós repudiamos de forma veemente, e afirmamos com convicção que só JESUS, é digno de HONRA, GLORIA E LOLOVOR PELOS SÉCULOS DOS SÉCULOS.



REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS
-Vinte Razões Porque Não Sou Católico – Amilton Justus – Editor
-Roma Sempre a Mesma - Hipólito Campos – 1ª edição.
-Por que estes ex-protestantes se tornaram católicos? MOURA, Jaime Francisco de. São José dos Campos: Editora COMDEUS. 4 ed. 2007,  pp. 89-90).
-Catolicismo romano que seita é essa?- Joel Santana.
    
EDITADO E ADAPTADO POR:
ABDIAS BARRETO
CONTATOS:
(85).8857-5757
Ab7.7@hotmail.com
 

2 comentários:

  1. Otimo estudo , Prof.Abdias ! GOsto de seus estudos e o acompanho pelas sua fanpage. CAiará a Babilonia.JEsus nao tardará e o cálice que as nações estao bebendo da taça do regime papal, será cobrado duramente pelas maõs do Gande Eu Sou" MAranata , JEsus de NAzaré!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ok...
      Fico agradecido!
      divulgue entre seus amigos.

      Excluir

Deixe seu Comentário... Assim você estará contribuindo com nossos leitores. Grato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...