Relogio Com Comentario

VERSÍCULO DO DIA

segunda-feira, 22 de maio de 2017

USOS E COSTUMES BÍBLICOS





O QUE A BÍBLIA FALA SOBRE USOS E COSTUMES

INTRODUÇÃO
Muitas igrejas têm feitos todo tipo de proibições para com as mulheres nas questões de maquiagem e adornos. Com o argumento de que as irmãs devem ser simples como as pombas (Mt. 10:16), estas denominações proíbem e disciplinam qualquer vestígio de enfeites feitos pelas mulheres.
1.b- A doutrina bíblica gera bons costumes, mas bons costumes não geram doutrina bíblica. Igrejas há que têm um somatório imenso de bons costumes, mas quase nada de doutrina. Isso é muito perigoso! Seus membros naufragam com facilidade por não terem a base espiritual da Palavra de Deus, se confiam nas próprias obras e acham que estão mais perto de Deus por não fazer ou não usar isso ou aquilo.
É comum escutarmos alguns irmãos falarem “minha igreja tem doutrina, lá mulher não usa maquiagem, brincos, pulseiras, etc.”. E falam isso com orgulho de pertencer a uma igreja que tem “doutrina”. O que há nessas afirmações é uma confusão entre as palavras “doutrina” e “costume”.
As vezes pessoas são disciplinadas em certas igrejas por usar ou praticar coisas que aquela igreja julga que é proibido nas Escrituras, quando na verdade é apenas um costume local.
Mas, você pode perguntar: existem passagens que mostram como os homens e mulheres da Bíblia se vestiam e o que usavam? Será que é correto hoje usar tudo o que eles usavam? A Bíblia aponta um padrão para a vestimenta e adornos cristãos? Podem os irmãos e as irmãs se adornarem ou é isso pecado? E aqueles versículos que estas pessoas citam para proibir o uso de enfeites o que querem dizer? Neste capitulo vamos estudar sobre este assunto com detalhes.

I- COSTUME E DOUTRINA.

1.a- Já foi dito aqui que muita gente faz confusão entre “costume” e “doutrina”, a primeira coisa que devemos fazer é definir estes termos, pois existe diferença
Costumes estão ligados a usos, a uma prática habitual particular, se baseiam na cultura e na moda vigente naquele tempo e lugar.
Doutrina. No Novo Testamento, a palavra mais usada para doutrina é didachê e significa: ensino, instrução, tratado. Para uma idéia ser doutrina cristã, é preciso que ela esteja exposta por todo o texto sagrado, e seja válida para todos os cristãos, ou seja, não é apenas algo local ou circunstancial, mas universal.
Observe a diferenças entre doutrina e costume.
  • Quanto à origem: A doutrina é divina. O costume em si é humano.
  • Quanto ao alcance: A doutrina é geral. O costume em si é local.
  • Quanto ao tempo: A doutrina é imutável. O costume em si é temporário

II- O QUE É VAIDADE.
2.a- Temos que definir também esta palavra e observar como ela aparece nas Escrituras Sagradas. É importante a gente se dar conta de que o termo ‘vaidade’, em português, não significa uma preocupação com a estética, como as pessoas pensam e usam a palavra dizendo: “ah, ela é cheia de vaidades!” O termo ‘vaidade’ em português provém do latim vanitas, o sentido básico desta palavra é: ‘em vão’.

1- Vaidade no Antigo Testamento.
a) No AT temos algumas palavras sendo usadas para vaidadeA expressão hebel (vaidade) usada no livro do Eclesiastes 1:2; 2: 11, indica: brevidade e ausência de substância, vazio (Jó 7: 16); coisa vã, que não produz efeito (Jó 9:29); engano (Jr. 16: 19; Zc. 10:2). [1] A The International Standard Bible Encyclopedia nos ajuda aqui com esta palavra e diz que as palavras "vão", "vaidade", "vaidades" são freqüentes na Bíblia. A idéia destas palavras é quase que exclusivamente de algo "vazio” e também “falsidade”.
1- A palavra mais traduzida por "vaidades", ou "vaidade" no AT é hebel, que significa um "sopro de ar, ou da boca", muitas vezes é aplicada à idolatria (Dt. 32: 21; 1 Rs. 16:13; Sl 31:6; Jr. 8: 19); aos dias do homem e ao próprio homem (Jó 7:16; Sl. 39: 5,11), e também aos pensamentos do homem (Sl. 94: 11); e a riqueza e tesouros (Pv. 13:11). No livro do Eclesiastes, onde a palavra ocorre muitas vezes, é aplicada a tudo: "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Ec. 1:2; 12:8).
2- Awen, que significa também "sopro", é também traduzida por "vaidade", mas em conexão com "iniqüidade" (Is. 58:9);
3- Shaw é outra palavra freqüente, é traduzida por vaidade e tem também a idéia de “falsidade, maldade” (Êx.20:7, Dt. 5:11; Sl. 31:6).[2]

2- Vaidade no Novo Testamento.
a) A palavra “vaidade” não ocorre freqüentemente no NT, mas em At. 14:15 temos a palavra grega mataios,[3] "vazio", traduzida como "vaidades" (de ídolos); encontra-se também mataiotês, como “transitoriedade” (Rm. 8:20): “A criação ficou sujeita à vaidade (fragilidade, transitoriedade). É traduzida também como “vazio”, “loucura” (Ef. 4:17; 2 Pd. 2:18).[4] Observe que nenhuma vez estas palavras estão sendo aplicadas a questões de se maquiar ou usar certos adereços como brincos, pulseiras, etc.

III- O QUE OS HOMENS E AS MULHERES DA BIBLIA USAVAM?
Os homens e as mulheres da Bíblia se enfeitavam e não era pouco. Eles usavam muitos adornos em várias partes do corpo. A seguir listamos alguns:
3.a- Os homens usavam:
· Anéis e colares (Gn. 41: 42; Ex. 35: 22; Et. 8: 2; Dn. 5: 29; Lc. 15: 22);
· Brincos (Ex. 32:2-3);
· Braceletes (Ex. 35: 22; 2Sm. 1:10);
3.b-As mulheres usavam:
  • Pendente, pulseira (Gn. 24: 22, 47);
  • Braceletes, colares (Ez. 16: 11);
  • Brincos, coroa na cabeça (Ez. 16:12);
  • Anéis no tornozelo (Is. 3 18);
  • Cadeias para os passos (Is. 3: 20).
3.c- Observe com atenção que as mulheres e os homens da Bíblia usavam muitos enfeites, não havia a concepção de pecado para tal prática. Todos podiam usar os seus adornos, se vestir bem e se enfeitar para o dia a dia. Nas Escrituras isto nunca foi proibido. A relação de Deus e do povo de Deus com as jóias na Bíblia é muito interessante, preste atenção nessas passagens a seguir:
· Êx. 3: 21-22- Deus diz que quando os israelitas saíssem da escravidão no Egito pedissem aos egípcios jóias e roupas para seus filhos usarem. Isso não aconteceria se os israelitas não usassem jóias e se Deus fosse contra as mesmas.
· Êx. 35 4-5, 20-22, 30- 36:3- Veja que os objetos do Santuário que Deus mandou Moisés construir para ser sua casa de adoração, foram feitos cm as jóias do povo. Se jóias fossem algo pecaminoso Deus as usaria na Sua casa?
· Nm. 31: 50- aqui encontramos as jóias do povo sendo usadas como oferta expiatória para Deus. Deus aceitaria como oferta algo pecaminoso?
· Jó 42: 11- Como presente dos seus amigos após sua restauração Jó o homem justo e temente a Deus (Jó 1:1), recebe um monte de anéis. Para que isso se ele não usasse?
· Pv. 1:8-9- O escritor de provérbios compara o ensino dos PIS que é uma coisa muito boa, com diademas e colares, ou seja, compara com adornos, enfeites. Isto mostra que para ele os enfeites eram coisas importantes e boas. E não podemos esquecer que ele escrevia inspirado pelo Espírito Santo.
· Pv. 25:12- Uma pessoa sábia é comparada com jóias e brincos de ouro.
· Is. 61:10- Jerusalém é representada como se fosse uma mulher,que está recebendo as bênçãos de Deus (3), e estas bênçãos são comparadas com enfeites, com as jóias de uma noiva.
· Ez. 16: 1-14- Este texto é maravilhoso e esclarecedor. Deus compara Jerusalém com uma mulher, e como se Ele fosse um esposo que está feliz com sua mulher, lhe dá todo tipo de jóias, e ainda diz que ela enfeitada está com a gloria dele refletida (14).
· Ap. 21: 1-2- a Nova Jerusalém, que é um símbolo da Igreja glorificada, é comparada a uma noiva quando se enfeitava para o casamento.
3.d- Será que se as jóias fossem algo que Deus abomina e que os cristãos não deveriam usar o Senhor faria as comparações que acabamos de ler em sua Palavra, e daria e receberia as mesmas de seu povo? É óbvio que não. Todas estas passagens mostram que nas Escrituras nada existe de proibições com respeito as jóias, e que o povo da Bíblia as usava normalmente.

IV- E AQUELE TEXTO?

Existem alguns textos que são muito usados por algumas pessoas para condenar o uso de jóias
pelos cristãos, a pergunta é: o que estes textos querem dizer? Vamos analisá-los.
4.a- Is. 3: 16-26- As vezes alguns mais desavisados também usam estes versículos para manter suas proibições. É um uso mal feito, pois aqui se estivesse proibindo as jóias para as mulheres, estaria proibindo também:
· Véus (19);
· Cintos (20);
· Anéis (21);
· Roupas caras, capas, bolsas (22);
· Espelhos, roupas de linho, xales (23);
· Perfumes, penteados, roupas caras (24).
Mas, logo se vê que as pessoas que usam esta passagem para proibir as jóias, não proíbem as outras coisas. Usam de dois pesos e duas medidas. O que este texto que dizer então?
4.b- É o seguinte: o profeta Isaias está dando uma sentença contra as mulheres de Jerusalém (16), dizendo que Deus iria tirar tudo o que cita delas, não porque aquilo fosse pecado, mas porque elas estavam cometendo outro pecado, o pecado da arrogância, do orgulho (16). A retirada de todos estes objetos delas seria uma forma de castigo, tudo seria parte do julgamento de Deus sobre Jerusalém da qual fala todo este capítulo 3.Temos aqui um fato circunstancial, referente a situação das mulheres de Jerusalém, um fato descritivo (descreve um acontecimento), e não prescritivo (não prescreve, nem ordena uma doutrina). Contrate esta passagem com Ez. 16: 1-14, onde Deus feliz com Jerusalém lhe dá jóias de todos os tipos e roupas finas como bênção. Tirar os ornamentos para o povo de Israel era sinal de tristeza (Ex. 33:1-6); receber ornamentos era sinal de bênçãos (Is. 61: 10; Ap. 21:1-2).
4.c- 1Tm. 2: 9-10; 1Pd. 3:1-4- Estas duas passagens também têm sido usadas por alguns para proibir os adornos femininos, mas não é isso o que está escrito nelas.
1- No primeiro texto (1Tm. 2: 9-10) o apóstolo Paulo não está proibindo o uso de jóias, nem os penteados para as mulheres, ele está fazendo um contraste entre dois tipos de beleza, a interior e a exterior. Ele diz que a verdadeira beleza não deve está por fora, nas jóias e ornamentos que as mulheres usavam, mas por dentro, na espiritualidade, na santidade. A mulher não deveria pensar em se enfeitar e se esquecer da parte espiritual, deve fazer uma, mas faça principalmente a outra. Ele reflete sobre as prioridades do cristão, como em 1Tm. 4:8: “Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir”. É claro que Paulo não desaconselha o exercício físico, mas mostra que a pessoa deve se exercitar na santidade antes de tudo. Toda leitura de um texto assim deve ser feita com cuidado, levando em seu contexto, se não for assim iríamos achar que o apóstolo estaria proibindo o casamento em 1Co. 7:27: “Estás ligado à mulher? não busques separar-te. Estás livre de mulher? não busques mulher”. Mas, não é isso que ele faz.
2- Na segunda passagem (1Pd. 3: 1-4), se Pedro estivesse lançando uma proibição contra o uso de jóias pelas mulheres, porque ele usa como exemplo de santidade as mulheres do AT (5-6)? Pois como já vimos, elas usavam muitas jóias. Ora, se Pedro tivesse aqui sendo contra o uso de jóias pelas mulheres, não usaria como exemplo quem as usava. Como entender o texto então? O que temos aqui são expressões idiomáticas como as seguintes:
· Assim não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus, que me tem posto por pai de Faraó, e por senhor de toda a sua casa, e como regente em toda a terra do Egito(Gn. 45:8). Veja no verso 4 que foram os irmãos de José mesmo que o venderam.
· Pois não desejas sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocausto. Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus(Sl. 51:16-17). Mas veja o verso 19, e também Ex. 29; Lv.22: 17- 33, onde o próprio Deus é quem estabelece os sacrifícios.
· Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou (Jo. 6:27). Estaria Jesus proibindo o trabalho? É claro que não.
Quando os autores bíblicos escrevem assim, eles estão querendo colocar ênfase em certos detalhes que não podem ser esquecidos em certas práticas, mas não estão negando nada. Por exemplo:
· Em Gn. 45:8, José não estava dizendo que os seus irmãos eram inocentes se sua ida ao Egito como escravo, mas sim afirmando queANTES dos irmãos dele fazerem o plano, Deus já havia feito.
· Em Sl. 51: 16-17, Davi não está dizendo que Deus não aceitava sacrifícios, pois o AT está cheio de ordenanças a este respeito (Lv. 1-7), mas está dizendo que ANTES de sacrifícios Deus queria o coração contrito.
· Em Jo. 6: 27, João não está dizendo que pessoas não deve trabalhar pela comida material, ANTES que se preocupe com a comida espiritual em primeiro lugar.
Portanto, nas duas passagens analisadas não há proibição do uso de ornamentos pelas mulheres, mas que ANTES elas saibam que a sua beleza deve está no interior, na vida espiritual dedicada, e não apenas no exterior, no que elas usam.

V- QUAL O CRITÉRIO DO CRISTÃO AO SE VESTIR E SE ADORNAR?
Depois de tudo o que foi dito fica a pergunta então devemos fazer tudo o que os homens e mulheres da Bíblia faziam; usar tudo o que usavam? Para responder a mesma temos que prestar atenção ao seguinte:
5.a- A Bíblia foi escrita em um determinado contexto e cultura onde havia muitos costumes diferentes dos nossos, assim nem tudo o que está na Bíblia é para fazer. Observe:
1- Gn. 16- Sara a esposa de Abraão, por ser estéril, dá empregada para que seu marido se deite com ela e gere um filho;
2- Ex. 21: 7- O pai podia vender a filha;
3- Ex. 21: 16,17 Lv. 20:9- Amaldiçoar ou ferir os pais era passível de pena de morte;
4- Lv. 23- Era obrigado celebrar as festas da Páscoa, Primícias, e o Dia da Expiação;
5- Dt. 21: 15-17- Homens podiam ter mais de uma esposa;
6- Dt. 21: 18- 23- Filhos desobedientes deveriam ser mortos;
7- Dt. 22:13-21- Mulher que casasse e ficasse provado que não era mais virgem deveria ser apedrejada até a morte;
8- Dt. 25:5-10- Se um homem casado morria sem ter deixado filhos, o seu irmão casava com sua esposa, era a lei do Levirato;
9- Dt. 26: 12-15- Quem dava o dízimo deveria fazer uma oração prescrita para todos.
Estes eram costumes do povo e da Lei de Israel, mas não são nossos. Ali eram aceitáveis, mas não são aceitáveis hoje, pois como já vimos costumes mudam de povo para povo e de época para épocaAssim, devemos ao ler a Bíblia saber diferenciar o que é um costume local, que dentro daquela sociedade era permitido e aceitável, e o que não é aceitável em nossa sociedade.
5.b- Observe este fato interessante:
· 1Co. 11:4-16- Em Corinto, era proibido as mulheres cortarem o cabelo, e os homens de terem os cabelos crescidos. Mas, em Israel era normal os homens terem longos cabelos (Jz. 13: 1-5; 2Sm.14:26);
· 1Co.11: 5- Aqui em Corinto as mulheres podiam profetizar e orar nos cultos, e profetizar também era ensinar (1Co. 14:31), mas em Éfeso onde Timóteo estava elas não podiam fazer nada disso (1Tm. 2:11-12). Acontecia assim porque estas duas cidades tinham costumes diferentes.
5.c- Todo cristão deve saber que deve respeitar a cultura na qual está inserido, se ela não fere a doutrina bíblica (1Co.10:32). Assim, no caso de usos e costumes devemos saber se tal costume no país em que vivemos é aceito ou não. Como a sociedade olha quem pratica tal coisa? Olha como cristão? Sendo práticos: homens de brincos no Brasil são vistos como cristãos pela sociedade? Mulheres com brincos pendurados no nariz são vistas como cristãs? Agora todos nós sabemos que a sociedade não vê nada de errado em uma mulher cristã se adornar com seu brinco na orelha, ou seu colar ao pescoço. A mesma coisa não existe discriminação em um homem usar um colar discreto.
5.d- Existem algumas coisa que devem ser observadas pelo cristão quando for se vestir e se adornar com seus enfeites. Não se deve usar tudo que a moda oferece, quando se for usar algo se deve fazer algumas perguntas:
· Isto que estou usando serve para a glória de Deus (1Co. 10:31)?
· Isto que estou usando me faz ser causa de escândalo para crentes ou descrentes (Rm. 14: 13-16,21; 1 Co.10:32)? Muitas coisas podem não ser pecado, mas para evitar o escândalo não devemos fazer (1Co. 10: 23-31);
· Isto que estou usando mostra que sou santo (1Pd. 1: 14-15)?
· Isto que estou usando Jesus usaria (1Jo. 2:6)?
· Isto que estou usando mostra que meu corpo é templo do Espírito Santo (1Co. 6:18-20)?
O cristão deve adotar a modéstia em todo o seu procedimento, se não adota o comedimento saiba que peca. O bom senso deve ser praticado pelos crentes no que usam como trajes ou adornos, sob pena de fazer do templo de Deus que é o seu corpo, um templo profano. Ao usar uma roupa ou adorno pense sempre no outro, e se aquilo está escandalizando o nome de cristão ou não. Que tipo de templo você é?
CONCLUSÃO:
a) As Escrituras estão fartas de textos que provam que os adornos eram usados pelo povo de Deus, não eram proibidos. Alguns tentam usar a Bíblia erradamente para tentar proibi-los, alegando que tudo isso é vaidade. É bom notar que na bíblia a palavra vaidade nunca esteve ligada ao uso de adornos pelas pessoas.
b) Os cristãos estão livres para se adornarem, mas observando o principio da modéstia. Devem saber que são diferentes, que devem ser santos. Se o que usam os transforma em motivo de escândalo ou de descrédito para com sua vida espiritual, estão em erro. Glorificar a Deus com seu corpo este é o critério básico para o comportamento cristão. Faça isso.

APÊNDICE:
a. Dt. 22: 5- Igrejas têm usado esta passagem para condenar o uso de calças compridas por mulheres. A explicação que dão é que calças são roupas de homem, e, portanto, são proibidas aqui para as mulheres. O que estas pessoas não dizem é que na época em que este texto foi escrito as roupas eram semelhantes para homens e mulheres. Os judeus todos usavam vestidos e túnicas, homens e mulheres, a distinção dos sexos não estava no tipo de roupa, pois todos usavam vestidos, mas nos tamanhos e cores.
b. A palavra hebraica no texto que é traduzida por roupa é o hebraico “simlâh”, a mesma palavra que é traduzida por “capa’ em Gn. 9: 23. Esta palavra significa: capa, manto, envoltório, vestuário, de homem ou de mulher; especialmente uma grande roupa exterior.[1] Assim , o texto não se refere a calças, mas a estilos de capas, vestimentas que se distinguiam por tamanho, cores, detalhes, e não por tipo. Portanto, não se proíbe aqui o uso de calças por mulheres, pois se ela usa uma calça de modelo feminino não há problema, assim como na Bíblia os homens usavam vestido, mas de modelo masculino. O texto proíbe o travestismo, homem como mulher e mulher como homem.

c. Mt. 10: 16- Este texto não fala nada sobre usos e costumes. Fala dos problemas que os apóstolos enviados por Jesus iam passar e Jesus está mostrando como eles deveriam enfrentar estes problemas. É só ler todo o capitulo 10 de Mateus. Portanto quem usa este texto para tentar falar de usos e costumes na igreja está falsificando as Escrituras.
http://gracaplena.blogspot.com.br


"Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre." (Jd 1:25.) 

 https://www.facebook.com/centro.apologetico 
 E-mail: abdiasbarreto@gmail.com 
 Whats-App - 85.98857-5757. 
 Cel - 85.99905-5757. 

 Prof. Abdias Barreto

sábado, 20 de maio de 2017

T A T U A G E N S - O QUE A BÍBLIA DIZ


A BÍBLIA E AS TATUAGENS

Resposta do Pastor Ariovaldo Junior á um membro de sua Igreja sobre TATUAGENS.
PERGUNTA - “Sabe o que é? Estou com dúvida sobre se posso ou não fazer uma tatuagem. O que o senhor, pastor, me aconselha?”
Claro que não, seu idiota! Se você ainda tem dúvidas, está mais do que claro que NÃO DEVE fazer. Mas como vira e mexe ainda sou obrigado a responder este tipo de pergunta, gostaria de fazer uma reflexão objetiva e definitiva sobre tatuagens.
FATOS SOBRE TATUAGEM QUE NÃO PODEM SER DESPREZADOS
Dói. Então se sua tolerância à dor é baixa, não se arrisque.
Não sai. Por mais moderno que sejam os lasers prometidos pelo seu dermatologista, sempre ficam pequenas cicatrizes (algumas nem tão pequenas assim).
Não conseguirá trabalhar em qualquer lugar. Claro que isto está mudando, principalmente nos grandes centros. Mas ainda não é a realidade na maior parte do Brasil.
Três de cada cinco pessoas que fazem tatuagem se arrependem nos dois primeiros anos. Portanto pense bem antes de tatuar o nome da sua namorada ou a cara da sua mãe. Do jeito que as pessoas não andam levando relacionamentos a sério, nem depois de casado tá dando pra tatuar o nome “dela”. E a cara da sua mãe ficará horrível em forma de tatuagem. Fica parecendo aquelas fotos pintadas que se colocam em túmulos.

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE TATUAGENS
Na verdade a Bíblia não diz nada. E ao mesmo tempo diz tudo. Tanto os legalistas que são radicalmente contra tatuagem, quanto os liberais extremistas, tentam forçar a amizade utilizando textos ao pé da letra, sem levar em consideração o contexto. Pois analisemos algumas passagens bíblicas:

PASSAGENS BÍBLICAS UTILIZADAS EM REFERÊNCIA A TATUAGENS
“Não fareis lacerações na vossa carne pelos mortos; nem no vosso corpo imprimireis qualquer marca. Eu sou o Senhor.” (Levítico 19:28)

Esta passagem é utilizada por boa parte dos radicais que adoram estuprar o contexto da palavra de Deus. Conforme está escrito, tanto o fazer lacerações quanto o imprimir marcas, referem-se especificamente ao culto aos mortos. Portanto, como nem toda tatuagem refere-se a adoração de defuntos, não dá para generalizar. Outro ponto importante é que no mesmo capítulo, especificamente no versículo 27, há outra afirmação interessante:
“Não cortareis o cabelo, arredondando os cantos da vossa cabeça, nem desfigurareis os cantos da vossa barba.” (Levítico 19:27)
Percebe como o mesmo texto que ordena que não sejam impressas “marcas” sobre a pele também ordena que está vetado os cortes de cabelo do tipo “cuia” e também o barbear-se adequadamente? Por que um versículo deve ser levado ao pé da letra e o imediatamente anterior a ele não? Paulo explica isso na carta aos Gálatas, discorrendo acerca daqueles que queriam guardar a circuncisão mesmo após conhecerem a Cristo:
“E de novo testifico a todo homem que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei.” (Gálatas 5:3)
Então ou pega o pacote completo da Lei, ou aceita de uma vez que somos chamados pela graça. Esta graça não implica em ausência de responsabilidades, mas em consciência transformada. Quem faz, deve saber o por quê e estar plenamente ciente de que prestará contas por suas ações.
O segundo argumento bíblico utilizado é de que nosso corpo é o TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO e, portanto, não devemos profaná-lo. Juro que gostaria de saber de onde provém este conceito. Mas vamos lá! Primeiramente é importante observar bem o texto em que a expressão “templo do Espírito” aparece:
“Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1 Coríntios 6:19)
Está explícito no texto como Paulo refere-se ao ESPÍRITO QUE HABITA EM “VÓS”. Na realidade nosso corpo não pode ser chamado individualmente de templo do Espírito, pois segundo explica mais detalhadamente o apóstolo Pedro:
“Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.” (1 Pedro 2:4)
Somo pedras. Parte da edificação que é chamada de TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO. Individualmente não passamos de meras pedras. Apenas coletivamente somos EDIFICAÇÃO. O mais interessante é como esta edificação é composta por pedras de todos os formatos e tamanhos. É fundamental que cada um encontre seu lugar, onde há ajuste perfeito entre as partes próximas, de modo a compor o todo. A beleza da igreja de Cristo está na diversidade e não na uniformidade. Assim, não serão cores, impressas ou de nascença, que farão com que esta edificação espiritual seja profanada. Além de que, há milhares de outras pequenas coisas moralmente aceitas que podem denegrir igualmente a “beleza” do corpo que é uma pedra viva. Exemplos? Lá vai alguns:
Comer demais, comer coisas que não são saudáveis, desnutrir-se por privar-se de coisas que não são saudáveis, maquiagem definitiva, silicone nos seios, lipoaspiração, vida sedentária, beber refrigerante demais, não beber água suficiente, tomar sol em demasia sem usar protetor solar… Dá pra citar milhares de pequenas coisas que detonam com nosso corpo. Muito mais do que uma tatuagem.
A proposição bíblica fundamental para todo aquele que deseja seguir a Cristo é EQUILÍBRIO. Deus nos criou para comermos de todas as árvores do jardim. Basta termos moderação e compreendermos claramente quais os LIMITES estabelecidos. O problema é que geralmente as pessoas só conhecem seus limites depois de ultrapassaá-los. Se você for tolo e fizer isto com tatuagens, será tarde demais. Portanto, MODERAÇÃO É BEM VINDA!
E pra encerrar, o terceiro argumento mais utilizado pelos que procuram justificativas bíblicas para condenar tatuagens:
“Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem!” (Mateus 18:7)
Este talvez seja o argumento mais fraco, porém tem seus fundamentos. Pensem comigo: o que vem a ser literalmente um escândalo? Penso que seja aquilo que faz com que destrói pessoas, afastando-as da fé em Cristo e da sã doutrina. Assim sendo, uma tatuagem realmente até pode ser chamada de escândalo, de acordo com o contexto de cada um. Uma família pode criar aversão à fé do filho simplesmente porque discorda das decisões que este toma ao tatuar-se por pressão social da igreja que faz parte. Pode parecer idiotice, mas já vi dúzias de pessoas tatuarem até mesmo a logomarca da igreja.
No entanto, este argumento não qualifica tatuagens como proibidas, pois nem todas provocam necessariamente escândalos. Cabe a cada um discernir o quanto é conveniente e lícito tatuar-se. Cada um precisa assumir a responsabilidade por suas ações, levando em conta não apenas estes poucos textos bíblicos citados, mas também toda a mensagem do evangelho. Sabendo que cada um prestará contas pessoalmente ao próprio Deus.
Não seja burro. Na dúvida, NÃO FAÇA!
E na certeza, procure um profissional competente.

“e tudo o que não provém da fé é pecado.” (Romanos 14:23b)




"Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre." (Jd 1:25.) 

https://www.facebook.com/centro.apologetico 
E-mail: abdiasbarreto@gmail.com 
Whats-App - 85.98857-5757. 
Cel - 85.99905-5757. 
Prof. Abdias Barreto.

O FILHO DA DONA MARIA

O FILHO DA DONA MARIA NO METRÔ DA SÉ

O filho da dona Maria e o mendigo podrão...
Praça da Sé, próximo à entrada do metrô. Não sei precisar a hora, mas deve ser pouco mais de meio-dia. O sol está escaldante. Vários mendigos sentados, bebendo, fumando e conversando. Alguns gritam, outros discutem, outro tanto lavam suas roupas nas águas sujas do antigo chafariz. Na saída de ar do metrô vários cobertores e peças de roupas amarradas às grades eram agitadas pelo vento criado com a passagem do trem subterrâneo. Funcionava como um secador de roupas.
Junto aos mendigos encontram-se algumas pessoas doentes, fazendo hora extra na terra para alguns. Um homem coxo, um cego, um paralítico. Outro deitado sobre um pedaço de papelão. Um leproso raspava a ferida de sua perna com um pedaço de cerâmica. O cheiro intenso de urina, suor e fezes fazia com que todos que desciam do metrô e passassem próximos àqueles mortos-vivos desviassem seus passos, tapando o nariz, tendo ânsia de vômito, desejando que aquele pedaço do mundo fosse engolido com todas aquelas criaturas bestializadas pelo sofrimento, abandono e dor.
Um casal de turistas parou pra tirar um foto daquela cena dantesca. Um dos mendigos se irritou e começou a xingá-los. Com medo, eles partiram apressados. Um trombadinha mirou a câmera e sinalizou para outro mais a frente. De onde eu estava não pude ver direito, mas houve grande correria e gritos de pega ladrão! Já era, rodou, perdeu...
Todos ali tinham em comum alguma desgraça pessoal que os levava àquele lugar. Nenhum outro local era tão público e ao mesmo tempo tão particular para aqueles mendigos do que aquela região da Sé. Os policiais faziam vistas grossas às barbáries que viam e ouviam daquela pequena comunidade de párias. Estando ali ao menos eram menos mendigos espalhados pelo centro. Mais cedo ou mais tarde morreriam ali, à espera de um milagre.
Este bando de maltrapilhos ficavam ali panguando, apenas juntando moscas em seus corpos e fedendo, crendo numa lenda urbana que dizia que quando a administração do metrô ligava o chafariz o primeiro que pulasse na água era milagrosamente curado de suas enfermidades. Dizem que foi um pessoal de uma igreja neo-pentecostal aí que tinha divulgado esta história, ninguém tinha certeza...
Em meio a este caos aparece ele, o filho da dona Maria. Tinha descido na Estação Sé do metrô e ia com muita pressa em direção ao Largo São Francisco, ponto final do Jardim Ângela. O crédito de seu bilhete único estava no limite e tinha que pegar seu ônibus rapidinho para não perder a passagem. Quando porém ele passou seus olhos sobre aquela pequena comunidade próximo ao chafariz, teve sua atenção roubada para o homem deitado no papelão.
Sem saber exatamente a razão (em seu íntimo algo como compaixão) se dirigiu a ele e perguntou:
-E ai mano, firmeza?
-É, mais ou menos. Tô de boa...
-Não é o que eu vejo. Você tá podrão cara. Tô na correria mas algo me incomoda: Você tá aqui acreditando no que o pessoal daquela igreja falou? Você quer ser curado cara?
-É, mais ou menos. Dizem que aqui posso ser curado, mas eu não consigo entrar na água em tempo.
O filho da dona Maria o olhou nos olhos, opacos, sem vida, e perguntou novamente:
-Rapá, eu to te perguntando se você quer ser curado!
Silencio. O mendigo não conseguia falar nada, absorto em seu mundo paralelo. Sem tempo a perder, o filho da dona Maria disse ao moribundo:
-Véio, esta história do banho de chafariz é a mó roubada. Na verdade você acredita nas coisas erradas, e vejo que isso faz muito tempo. Acredita até que não consegue mais sair daí, se entregou, desistiu de viver. Vamos fazer o seguinte: Eu te ajudo a levantar. Vamos! Levante! Jogue este papelão fora e vai cuidar de sua vida!
Vida. Que vida tinha aquele homem? Ali estava bom, estava na zona de conforto, mesmo em meio ao caos. Acostumado ao sofrimento desde que se deu por gente, ali era um bom lugar para estar. De vez em quando passava um pessoal distribuindo sopa. Não era molestado por ninguém (na verdade tinham nojo dele). Mesmo sem entender direito o que se passava, o homem sentiu algo dentro dele maior que seu comodismo, se espreguiçou e se levantou. Todos os outros mendigos ficaram boquiabertos. Aquele homem estava ali desde que fundaram o metrô, quase quatro décadas atrás, e nunca tinham o visto andar!
Neste meio tempo o filho da dona Maria vazou. Tinha só mais dez minutos para usar a passagem do bilhete único e – se ficasse ali – todo o resto do pessoal ia embaçar na dele.
Muitos perguntaram para o mendigo sem nome o que tinha acontecido. Ele não soube explicar. Não sabia nem o nome do filho da dona Maria....


Prof. Abdias Barreto

"Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre." (Jd 1:25.) 

 https://www.facebook.com/centro.apologetico 
 E-mail: abdiasbarreto@gmail.com 
 Whats-App - 85.98857-5757. 
 Cel - 85.99905-5757. Prof. Abdias Barreto.

LIBERTO DO JUGO ADVENTISTA


LIBERTO DO TRADICIONALISMO ADVENTISTA

Fui ensinado na Igreja Adventista do Sétimo Dia a dar muita importância a Lei, ao Sábado, a pertencer a "única igreja verdadeira remanescente" , a comidas, o regime alimentar e ao vegetarianismo.
E as coisas mais importantes do evangelho de Jesus tais como:
► Amar os inimigos, ter dons espirituais, ser nascido de novo, ser guiado pelo Espirito Santo, eram secundárias, pouco compreendidas, a graça ensanguentada de Deus mostrando seu filho esmagado por nossos pecados, o amor revelado de Deus, a humildade, o amor, a fé que opera milagres e expulsa demônios, ficavam em segundo plano, pois o que nos garantia eram nossas doutrinas diferentes e melhores, eram "verdades presentes" , era praticamente um outro evangelho.
► O sangue de Jesus, amar inimigos, perdoar, ser nova criatura, ser nascido de novo, ter os dons espirituais, o maior ser o menor, essas maravilhosas verdades passam a não ser uma realidade raras, mas comida, sábado, igreja melhor detodas, orgulho de ser e pensar isso e aquilo, doutrinas certas, eram a minha "vantagem" diante de outros grupos religiosos, que reputava como estando em trevas e eu na luz, por conhecer e concordar com tais e tais doutrinas.
Qual o resultado disso? Pergunte no sermão quem nasceu de novo?
► Quem sabe quantos são os dons espirituais e qual dom sobrenatural ele recebeu do Espírito Santo?
► As mãos levantadas serão mínimas, as respostas sobre os dons serão raras e/ou vazias de detalhes.
► Testei isso em alguns dos milhares de sermões que fiz quando pregador solicitado nas igrejas ASD.
► (De vez em quando ainda sou convidado a pregar, mas já existem cartas e ordens da Associação me perseguindo e impedindo as pessoas de ouvirem o Evangelho, eles fazem isso achando que estão servindo a Deus quando na verdade estão servindo outro deus a quem elegeram: a igreja, o sistema e o salario deles)
► Fui educado a pensar que nossa igreja IASD era a única verdadeira, que sair da igreja era sinônimo de perdição.
► Que o sábado era um dos mais importantes mandamentos, que seguir ou não ao sábado era sinônimo de cristianismo, verdadeiro e falso, que os dez mandamentos é o destaque que nos distingue na verdade.
► Que o povo evangélico, suas curas e milagres eram quase sempre satânicos, e que todas as outras igrejas exceto a IASD, compunham uma confusão religiosa, uma babilônia e estavam em erro esperando minha igreja melhorar para Deus guiar os sinceros delas para minha igreja.
► Fui ensinado, como membro e como teólogo, a fazer um malabarismo teológico com o apóstolo Paulo que combatia o judaísmo da lei, ensinado a interpretar a Bíblia a luz dos livros denominados "espírito de profecia" .
► Fui ensinado a desprezar milagres, curas sobrenaturais, por acreditar que este não é mais o método de Deus para os últimos dias, a não praticar a expulsão de demônios, já que o demônios raramente se manifestam na adventista que é a "menina dos olhos de Deus", a única mais sincera, a única mais verdadeira e a que mais me ajudaria aumentando a possibilidade de minha salvação.
► Fui ensinado a considerar tais passagens como "perigosas" "complicadas" a esconder isso de novos membros, a refutar o próprio texto bíblico e não a aprender com ele!
► Fui educado a pensar que a IASD tinha mais luz que todos de outras igrejas e que trazia comigo o que era mais avançado em termos de compreensão da verdade de Deus.
► Meu orgulho foi muito alimentado, isso me fazia olhar as pessoas de cima para baixo.
► Me estimularam a crer que eu era dono da verdade, não a verdade de Jesus, mas a verdade das "doutrinas da minha igreja IASD ".
► Fui ensinado a mudar o Evangelho, que o método de cura que Deus usa hoje não é mais o método de cura que usou e recomendou no passado, que Deus substituiu o método antigo pela reforma de saúde e mudança de estilo de vida, porque satanás operaria muitos milagres conforme apocalipse prevê, e para que nós não fôssemos confundidos, Deus instruiu a Srª Ellen G White que o método de curar de hoje é outro, então o que Jesus disse que "esse sinal acompanharão os que o seguem" (Mc 16:16) não vale mais.
vejam só o que Ellen disse:
► "Ellen disse que a maneira por que Cristo trabalhava era pregar a Palavra, e aliviar o sofrimento por obras miraculosas de cura.
► Ellen disse que estava, instruída de que não podemos agora trabalhar dessa maneira, pois Satanás exercerá seu poder pela operação de milagres.
► Os servos de Deus hoje não poderiam trabalhar mediante milagres, pois espúrias obras de cura, pretendendo ser divina, serão operadas.
► Por essa razão o Senhor destinou um meio pelo qual Seu povo deve executar uma obra de cura física pela medicina, aliada ao ensino da Palavra.
► Devem estabelecer-se hospitais, e com essas instituições devem estar ligados obreiros que façam genuína obra médico-missionária.
► Estende-se assim protetora influência em torno dos que vão aos sanatórios em busca de cura.
► Essa é a providência tomada pelo Senhor, pela qual a obra médico-missionária evangélica deve ser feita por muitas almas". Carta 53, 1904. Escrita por E G White."
► E assim fui estimulado a ser mais racionalista que espiritual, a ter mais fé na ciência do bom viver, que fé no poder de Deus, a orar menos e fazer mais.
► E ainda, a julgar os milagres dos evangélicos como obra satânica em perfeita semelhança aos julgamentos que os fariseus faziam e por isso, blasfemavam contra a operação do Espírito Santo.
► É certo que Deus manda retirar a pedra, isso é, fazer o que podemos fazer pela saúde como usar plantas medicinais, cuidar do corpo, ir ao médico, e estar atualizado cientificamente para beneficio e prevenção de doenças.
► CONTUDO, não podemos nunca deixar a fé no poder de Deus de ressuscitar mortos, curar enfermos e restaurar as vistas ao cegos, algo que a ciência pouco ou nada pode fazer.
► Bom, descobri que idolatrava as obras da IASD como sendo um braço de Deus, que respeitava o Sistema Hierárquico da obra (onde o maior é maior e o menor é menor).
► Descobri que idolatrava a lei e não obedecia 2 corintios 3, que fala que devemos substituir o glorioso Ministério das Tábuas de Pedra da lei, tutor, aio, pelo super glorioso ministério do Espirito Santo (Jesus vivendo em nós).
► Descobri que idolatrava o sábado e descobri que o sábado não recebeu de Jesus tanta atenção que fui ensinado a dar.
► Fui ensinado que o Apostolo Paulo teria falhado em não explicar algo "tão importante" sobretudo falharia quando escreveu Colossenses 2:16, gálatas 4:10, Romanos 14 e possivelmente Hebreus 3,4, os quais nos ensinam.
► Fui ensinado a considerar tais passagens como "perigosas" "complicadas" a esconder isso de novos membros, a refutar o próprio texto bíblico e não a aprender com ele!
► Descobri que idolatrava Ellen G White e que não sabia que ela teve em torno de 30 assistentes que com ela copiaram muitos autores presbiterianos, batistas, sem citar as fontes, e que eu interpretava a Biblia a luz dos "seus escritos" e que o Espírito Santo não me revelaria nada novo alem do que ela já houvesse ensinado e interpretado em seus escritos (agradecimento ao Dr Walter Martin e a Associação Geral dos ASD que permitiram sua pesquisa)....
► Descobri que deve ocorrer revelações dos Espirito Santo nos cultos da Igreja e que deve ser dada liberdade aos irmãos receber alguma revelação da parte de Deus para falar a congregação.
► Descobri que todos nós podemos profetizar (I Corintios 14:31) e não somente E.G.W.
► Descobri que Deus pode chamar um analfabeto e não somente alguém formado em teologia, pois o que deve ter primazia é a inspiração e não a informação.
► Descobri que toda IASD quase não possui, não pratica, não estimula, e nem sabe quantos são os dons espirituais de I Corintios 12, que não somos uma igreja realmente do NT, mas somos um tipo de cristãos judaizantes.
► Descobri que a "profecia" do decreto dominical, que faz com que adventistas cultuem a guarda do sábado como talvez a mais importante coisa a se lembrar do "evangelho" , surgiu de uma tentativa de aprovação no Congresso Americano (sec XIX), quando os protestantes eram ainda meio legalistas e consideravam o domingo como judeus e adventistas ao sábado, e queriam impor sua observância na época.
► Bom..descobri muitas coisas... e esta experiência me estimulou ao estudo da Bíblia, das alianças, de 2 corintios 3, e foi me libertando dos enganos que sofri a vida inteira.
► Deixo aqui meu testemunho na esperança que a Luz do Evangelho não seja obscurecida pelas meias verdades e mentiras do adventismo, na esperança de que possamos nos unir em Cristo e nos evangelhos, e formar um grupo que resgate o que tivemos de bom e abracemos aquilo que nos falta.
Que Deus nos ajude , nos perdoe de combater nossos irmãos evangélicos, e nos abençoe a corrigir e reformar nossa vida e mentalidade, a luz da palavra de Deus , a luz do verbo de Deus, Jesus , o caminho, a verdade e vida. Amém!
Aut. Ex Pastor Adventista

Prof. Abdias Barreto.


"Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre." (Jd 1:25.) 

 https://www.facebook.com/centro.apologetico 
 E-mail: abdiasbarreto@gmail.com 
Whats-App - 85.98857-5757. 
Cel - 85.99905-5757. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...