Relogio Com Comentario

VERSÍCULO DO DIA

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

UM MENINO NOS NASCEU

Isaías 9

9.1 — Mas a terra que foi angustiada. Esse versículo conclui o pensamento de Isaías 8.22 e promete uma mudança profunda para logo. Essa mudança será a explosão de luz causada pelas Boas Novas. Jesus pode nos libertar das trevas decorrentes de nossos pecados (Ef 5.8). Os antigos assentamentos tribais de Zebulom e Naftali (Js 19.10-16,32-39), que incluíam a Galileia, foram os primeiros a sentir o impacto das invasões assírias (2 Rs 15.29). As três expressões do fim do versículo — caminho do mar, além do Jordão, a Galileia dos gentios (ou nações) — referem-se a distritos administrativos do conquistador assírio Tiglate-Pileser III como resultado das três campanhas que liderou no Oriente por volta de 733 a.C.

9.2-7 — A sétima profecia no contexto da guerra siro-efraimita corresponde ao clímax. Haverá um monarca ideal que acabará com a guerra e prenunciará a paz mundial. A luz que substituirá as trevas da opressão assíria será uma Criança, o Deus encarnado (Is 7.14). Os quatro títulos reais (v. 6) ilustram Sua natureza divino humana e Seu programa de salvação universal.

9.2 — Viu. Um acontecimento futuro é descrito pelo profeta, por inspiração do Espírito, como se já houvesse ocorrido. A palavra luz remete às bênçãos, à presença e à revelação de Deus (Is 2.5), encarnadas na pessoa de Jesus (Is 58.8; 59.9; 60.1,2,19,20; Jo 8.12). Sombra da morte significa escuridão profunda (compare com Is 60.2; SI 23.4). Aqui a palavra hebraica complementa a palavra mais comum para trevas.

9.3 — Como se alegram na ceifa [...] se repartem os despojos. A sociedade agrícola não conhece alegria maior que a colheita. O soldado não conhece alegria maior que o fim da batalha, depois que seu lado saiu vencedor, pois ainda vive e há butim a repartir. Compare a alegria da colheita nesse versículo com a colheita sombria de Isaías 16.10.

9.4 — Jugo, vara e cetro são símbolos da opressão e ressaltam o sofrimento do povo durante a dominação estrangeira. O pronome ele refere-se à Assíria, que se gaba do jugo pesado que impõe aos povos por ela subjugados (Is 10.27). O dia dos midianitas é uma alusão à derrota de Midiã (Is 10.26; Jz 6—8).

9.5 — Armadura. Uma tradução mais literal é sandálias. Os exércitos assírios eram notáveis pelo ruído da marcha de inúmeros pés. Vestidos que rolavam no sangue de batalhas passadas era uma tática proposital para assustar os inimigos numa batalha iminente. Todos esses emblemas de guerra serão incinerados quando chegar o dia em que o Filho começar a reinar (v. 6).

9.6 — Nasceu refere-se à humanidade do Filho, e deu, à Sua divindade. Maravilhoso, Conselheiro é um título único e significa maravilhoso conselheiro divino (Is 11.1-5). Deus Forte indica que Deus é um Guerreiro poderoso (Is 10.21). Pai da Eternidade fala do Rei Pai que alimenta e protege Seu povo eternamente (Is 40.9-11; Mt 11.27-30). Assim, a palavra Pai é empregada em referência ao papel do Salvador como Rei ideal. A descrição culmina com o título Príncipe da Paz (Is 2.4; 11.6-9; 53.5; Lc 2.13,14; Rm 5.1). O Filho é o verdadeiro Príncipe, aquele com direito a reinar e que prenunciará a paz. Os quatro pares de nomes conjugam aspectos da divindade e da humanidade de Jesus. Juntos, eles asseveram a dupla natureza do Salvador. Ele é Deus feito homem.

9.7 — Do incremento pode ser traduzido por para Ele incrementará. Principado e da paz pode ser reformulado como reino pacífico. O Senhor Jesus leva Seu reino de paz ao coração do crente. Além disso, Ele estabelecerá o Reino de Deus, que será Seu reino da paz. O fato de o Filho ocupar o trono de Davi para sempre concretiza a promessa de Deus feita àquele rei (2 Sm 7.8-16; SI 89.19-37; Lc 1.32,33).

9.8 — 10.4 — Essa passagem contém um juízo contra o Reino do Norte. O Senhor o destruirá, e a sua capital, Samaria. As acusações e as sentenças judiciais dessa seção indicam que o Senhor é tanto Juiz quanto Executor (Is 9.11,14,19; 10.4).

9.9,10 — Os ladrilhos são as paredes de tijolos de argila, comuns no antigo Israel. O povo planeja aumentar a suntuosidade de suas residências, ignorando o fato de que o Senhor está prestes a destruir suas habitações no momento em que executar o juízo pelos pecados do povo.

9.11 — Os adversários são os assírios, que foram usados pelo Senhor para castigar o Reino do Norte.

9.12 — Os siros habitavam a leste de Israel, e os filisteus, a oeste.

9.13 — Se voltou indica arrependimento e desejo de recuperar-se.

9.14,15 — A cabeça e a cauda: figura de linguagem que se aplica a todos os líderes.

9.16 — Os guias deste povo são enganadores. Compare com Isaías 3.12.

9.17 — Os jovens e as viúvas representam aqui todas as pessoas. Todos haviam-se afastado da adoração fiel a Deus. Israel está inteiramente contaminado pelo mal, pela hipocrisia e insensatez (em 1 Co 5.6, uma igreja é exortada a não permitir que a iniquidade a corrompa).

9.18.19 — O fogo da impiedade é combatido pelo fogo da ira do Senhor.

9.18 — Impiedade pode ser tanto o pecado quanto suas consequências destrutivas.

9.19.20 — Ninguém poupará ao seu irmão é a instauração da anarquia (Is 3.4,5). Banda direita [...] banda esquerda. Essas figuras de linguagem denotam uma fome insaciável e a consequente ruína que ocorrerá no dia do juízo.

9.21 — Manassés lutou contra Efraim (Jz 12.4), depois, juntas, as duas tribos pelejaram contra Judá (mas leia 11.13).

"Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre." (Jd 1:25.)

https://www.facebook.com/centro.apologetico
E-mail: abdiasbarreto@gmail.com
Cel - 85.8857-5757. — em Fortaleza-Ce.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentário... Assim você estará contribuindo com nossos leitores. Grato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...