Relogio Com Comentario

VERSÍCULO DO DIA

terça-feira, 31 de julho de 2012

OS CRISTÃOS E A VULNERABILIDADE AS SEITAS

VOCÊ SE TORNARIA MEMBRO DE UMA SEITA?

TODO ANO, MILHARES DE PESSOAS ESTÃO SE FILIANDO A UMA NOVA SEITA. UM NÚMERO SURPREENDENTE DELES SE DIRÁ CRENTES EVANGÉLICOS. ELES PODERÃO SER AMIGOS, PARENTES OU MEMBROS DE SUA IGREJA. 
E... É ATÉ POSSÍVEL QUE VOCÊ ESTEJA ENTRE ELES!
NEM SEMPRE OS CRENTES ESTÃO IMUNES ÀS ATIVIDADES E SATISFAÇÃO QUE AS SEITAS OFERECEM. CONTUDO, AS DESERÇÕES PODERÃO SER EVITADAS SE ESTIVERMOS ALERTA ACERCA DAS ÁREAS VULNERÁVEIS E PROCURARMOS DAR ALGUNS PASSOS POSITIVOS NO SENTIDO DE FORTIFICAR ESSAS ÁREAS EM NOSSAS IGREJAS. UM ESTUDO SOBRE AS SEITAS PROEMINENTES, DO PONTO DE VISTA DAS NECESSIDADES HUMANAS, QUE ELAS [APARENTEMENTE] PREENCHEM, REVELA VÁRIAS FRAQUEZAS ENTRE OS CRISTÃOS E SUAS IGREJAS, QUE COLOCAM OS CRENTES FRENTE À SEDUÇÃO DAS SEITAS. 
PARA DESCOBRIR SE VOCÊ É VULNERÁVEL A SE TORNAR MEMBRO DE UMA SEITA, FAÇA OS SEGUINTES TESTES: 
1 - COMO ESTA SEU CONHECIMENTO BÍBLICO E APOLOGÉTICO?
DEPOIS DE OUVIR UMA PRELEÇÃO INTRODUTÓRIA DA IGREJA DA UNIFICAÇÃO (A SEITA DO REV. MOON), É POSSÍVEL ENTENDER COMO OS CRENTES QUE AINDA NÃO CONHECEM O CONTEÚDO E OS PRINCÍPIOS DE INTERPRETAÇÃO DA BÍBLIA POSSAM SER FISGADOS FACILMENTE.
O PRELETOR FAZIA CITAÇÕES OU REFERÊNCIAS A UM OU OUTRO VERSÍCULO BÍBLICO, A MAIORIA DAS VEZES RETIRADAS DO SEU CONTEXTO, FAZENDO UMA PRELEÇÃO QUE SOAVA COM UMA LÓGICA APARENTEMENTE VÁLIDA.
CRISTÃOS QUE SÃO BIBLICAMENTE IGNORANTES, OU QUE TÊM UMA COMPREENSÃO MERAMENTE SUPERFICIAL DA BÍBLIA, SÃO OS PRIMEIROS CANDIDATOS PARA ESSES TIPOS DE EXPLICAÇÕES. EXCETO A MAIORIA DOS GRUPOS ORIENTAIS, TAL COMO HARE KRISHNA, MUITOS MEMBROS DAS SEITAS CITAM NUMEROSOS "TEXTOS DE PROVA" DA BÍBLIA - RETIRADOS DO CONTEXTO - PARA AFIRMAR SUAS DOUTRINAS. 
AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ SÃO FAMOSAS POR SUA HABILIDADE DE CONFUNDIR SEUS OPONENTES, CITANDO DEZENAS DE VERSÍCULOS QUE PARECEM APOIAR SUA TEOLOGIA ESTRANHA. TODAVIA, FREQÜENTEMENTE, OS CRENTES NÃO SÃO HÁBEIS PARA SUSTENTAR BIBLICAMENTE SUAS PRÓPRIAS CONVICÇÕES E CONFRONTAR OS FALSOS ENSINAMENTOS E INTERPRETAÇÕES IMPRÓPRIAS. OUTROS SÃO ATRAÍDOS POR "NOVAS REVELAÇÕES" DE SEITAS COMO A IGREJA APOSTÓLICA DA "SANTA VÓ ROSA" OU O PROFETA WILLIAM SOTO SANTIAGO, O GRUPO VOZ DA VERDADE, O ADVENTISMO DO SÉTIMO DIA E OUTROS. 
COMPROMISSO INDIVIDUAL:
O QUE VOCÊ CRÊ A RESPEITO DAS DOUTRINAS BÁSICAS (BÍBLIA, TRINDADE, DEUS, HOMEM, SALVAÇÃO, ESPÍRITO SANTO, IGREJA, ESCATOLOGIA, ANJOS), E POR QUE CRÊ ASSIM? VOCÊ CONSEGUE SUSTENTAR SUAS CONVICÇÕES USANDO A BÍBLIA? VOCÊ ESTÁ ENVOLVIDO PESSOALMENTE COM UM ESTUDO DIÁRIO E SISTEMÁTICO DA BÍBLIA? VOCÊ CONHECE OS PRINCÍPIOS DE UMA SÓLIDA INTERPRETAÇÃO BÍBLICA? VOCÊ LÊ LIVROS E TOMA AULAS DE TEOLOGIA, APOLOGÉTICA E EXPOSIÇÃO BÍBLICA? 
COMPROMISSO GERAL:
NA SUA PREGAÇÃO, O QUE TEM MAIS ÊNFASE E AUTORIDADE: A BÍBLIA OU AS EXPERIÊNCIAS ESPIRITUAIS? VOCÊ ENSINA AS DOUTRINAS BÁSICAS DA FÉ CRISTÃ AOS NOVOS CONVERTIDOS? VOCÊ TEM PLANOS DE ENSINAR TEOLOGIA, MÉTODOS DE ESTUDO BÍBLICO, HERMENÊUTICA (INTERPRETAÇÃO BÍBLICA) E APOLOGÉTICA (A DEFESA DA FÉ), NOS SERMÕES, ESCOLA DOMINICAL, ESCOLA BÍBLICA DE FÉRIAS, OU OUTRAS AULAS ESPECIAIS?
2 - SUA DOUTRINA NO DIA A DIA.
A MAIOR ATRAÇÃO DO TEMPLO DO POVO DE JIM JONES ERA A APARENTE INTEGRAÇÃO DOS FIÉIS E O ESTILO DE VIDA, QUE RESULTOU EM AÇÃO NA AJUDA PARA SUPRIR AS NECESSIDADES DA COMUNIDADE. A IGREJA TAMBÉM DEMONSTRAVA UNIDADE COM A INTEGRAÇÃO RACIAL. O REV. MOON E A IGREJA DA UNIFICAÇÃO TÊM ATRAÍDO MILHARES DE JOVENS EM IDADE UNIVERSITÁRIA PORQUE ELE PROMETE AOS SEUS SEGUIDORES UMA MANEIRA REVOLUCIONÁRIA PARA RESOLVER OS PROBLEMAS DO MUNDO E VENCER O COMUNISMO - O QUAL HAVIA PROFETIZADO QUE SUPLANTARIA A DEMOCRACIA - COMO SABEMOS ESSA PROFECIA FALHOU. OUTROS INCONTÁVEIS JOVENS SEGUEM A IGREJA MÓRMON PORQUE ELA OFERECE UMA SOCIEDADE COOPERATIVA QUE CUIDA DAS NECESSIDADES DE SEUS ADEPTOS ATRAVÉS DOS SEUS SERVIÇOS DE "BEM-ESTAR". MUITAS PESSOAS PROCURAM CENTROS ESPÍRITAS E TERREIROS DE UMBANDA PARA RESOLVER SEUS PROBLEMAS PARTICULARES PELOS CONSELHOS QUE RECEBEM DAS ENTIDADES ESPIRITUAIS. EM CONTRASTE, AS VERDADEIRAS IGREJAS CRISTÃS TÊM MUITAS VEZES SE DESVIADO PARA UMA DOUTRINA DIVORCIADA DA VIVÊNCIA PRÁTICA DO DIA-A-DIA. EM MUITOS CASOS, OS CRISTÃOS FALHAM EM APLICAR AS VERDADES DA BÍBLIA AOS PROBLEMAS DO POVO DE UMA MANEIRA PRÁTICA. ESTAMOS TÃO INQUIETOS QUANTO AO [PERIGO DE] CAMINHAR PARA UM "EVANGELHO SOCIAL", QUE MUITAS VEZES ACABAMOS PERDENDO O EQUILÍBRIO ENTRE A PREGAÇÃO DO EVANGELHO E O SOCORRO ÀQUELES QUE PASSAM NECESSIDADES. 
COMPROMISSO INDIVIDUAL: 
VOCÊ APLICA O ENSINO BÍBLICO À SUA VIDA DIÁRIA? VOCÊ JÁ DESENVOLVEU UMA ÉTICA SOCIAL CRISTÃ BASEADA NA BÍBLIA? DE QUE MANEIRA VOCÊ ESTÁ ENVOLVIDO EM AJUDAR A SUPRIR AS NECESSIDADES DE OUTRA PESSOA OU GRUPO - POR EXEMPLO: FAVELADOS, CRIANÇAS ABANDONADAS, OU VICIADOS? OS SEUS AMIGOS NÃO CRENTES E VIZINHOS O CONHECEM COMO ALGUÉM QUE SE PREOCUPA COM SUAS VIDAS E NÃO APENAS COM SUAS ALMAS? COMPROMISSO GERAL:
VOCÊ ENSINA QUE A VIDA CRISTÃ É UMA MANEIRA COMPLETA DE VIVER, QUE NÃO ENFATIZA APENAS O ASPECTO ESPIRITUAL? VOCÊ ENCORAJA AS PESSOAS A DEMONSTRAR A FÉ AJUDANDO OUTRAS PESSOAS? VOCÊ ENCORAJA PESSOAS DE OUTRAS RAÇAS OU NÍVEIS SOCIAIS A FREQÜENTAR SUA IGREJA, OU NÃO AS RECEBE? 

3 - SEU SENSO DE COMUNIDADE DENTRO DA IGREJA.
OS CRENTES EX-MEMBROS DO TEMPLO DO POVO TESTEMUNHAM QUE A AMIZADE E O SENSO DE COMUNIDADE OS ATRAÍRAM PARA AQUELA SEITA. OS MOONISTAS DEMONSTRAM TANTA INTIMIDADE, POLIDEZ E AMIZADE, QUE MUITOS JOVENS SOLITÁRIOS QUEREM ADERIR AO GRUPO. OUTROS SÃO SEDUZIDOS PELOS MENINOS DE DEUS, ATUALMENTE CONHECIDOS COMO A FAMÍLIA, POR CAUSA DAS PROMESSAS DE SEGURANÇA E RELACIONAMENTOS ÍNTIMOS - E ATÉ SEXUAIS - SEM APARENTES COMPROMISSOS. 
OS MÓRMONS APRENDEM VÁRIOS MÉTODOS DE GANHAR NOVOS ADEPTOS PELA AMIZADE USANDO O FOLHETO "PRECISO DE UM AMIGO". AO MENOS NA APARÊNCIA, MUITAS SEITAS OFERECEM AMOR FRATERNO, SUSTENTO E ACEITAÇÃO. ACHANDO SUA IGREJA FRIA, E QUE NÃO SE PREOCUPA COM SEUS MEMBROS, ELE SE VOLTA PARA OUTROS GRUPOS ONDE SE SENTIRÁ MAIS CONFORTÁVEL, ÍNTIMO E RECONHECIDO. 
COMPROMISSO INDIVIDUAL.
COM QUE FREQÜÊNCIA VOCÊ DÁ AS BOAS-VINDAS AOS VISITANTES DE SUA IGREJA E OS CONTATA DURANTE A SEMANA? DE QUE FORMA VOCÊ PROCURA DEMONSTRAR AMOR FRATERNAL ÀS PESSOAS SOLITÁRIAS, COM PROBLEMAS, E DOENTES DE SUA IGREJA? VOCÊ CONVIDA PESSOAS OU FAMÍLIAS COM QUEM VOCÊ RARAMENTE MANTÉM COMUNHÃO PARA JANTAR EM SUA CASA, OU OS VISITA CASO FALTEM AO CULTO? VOCÊ COMPARTILHA SEUS CONFLITOS E FALHAS COM MEMBROS DE SUA IGREJA? OS IRMÃOS DE SUA COMUNIDADE PODEM CONTAR COM VOCÊ PARA ENFRENTAR AS DURAS PROVAS DA VIDA? COMPROMISSO GERAL
VOCÊ RESERVA TEMPO TODA SEMANA PARA QUE OS MEMBROS DA IGREJA POSSAM COMPARTILHAR SUAS ALEGRIAS E NECESSIDADES UNS COM OS OUTROS? O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO PARA PROMOVER UM AMBIENTE ONDE OS MEMBROS SINTAM-SE À VONTADE PARA COMPARTILHAR SEUS CONFLITOS E FALHAS? VOCÊ INCENTIVA AS PESSOAS A COMUNICAR SUAS DÚVIDAS E PROCURA AJUDÁ-LAS A RESOLVÊ-LAS? VOCÊ CONHECE AS NECESSIDADES DO SEU POVO? O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO PARA SUPRIR ESTAS NECESSIDADES? 

4 - IMATURIDADE OU AMORTECIMENTO ESPIRITUAL.
MUITOS CRENTES PROFESSOS, QUE ACABAM ENTRANDO PARA UMA SEITA, SÃO CRENTES NOVOS QUE NÃO FORAM DISCIPULADOS, OU SÃO CRENTES ANTIGOS QUE SE TORNAM BEBÊS ESPIRITUAIS. A IMATURIDADE OS FEZ PRESAS FÁCEIS DE SEITAS QUE USAM A BÍBLIA E POSSUEM UM LINGUAJAR EVANGÉLICO.
CRENTES QUE ESTÃO VIVENDO PARA SI MESMOS EM VEZ DE SE SUBMETEREM AO SENHORIO DE CRISTO PODEM SER FISGADOS POR QUALQUER GRUPO QUE FOR SIMPÁTICO AOS SEUS DESEJOS CARNAIS. OUTROS CRENTES SÃO ENGANADOS POR SEITAS COMO O TABERNÁCULO DA FÉ DE WILLIAM BRANHAM. MUITAS VEZES, NOSSA ÊNFASE ACERCA DA SÃ DOUTRINA TEM TIDO A TENDÊNCIA DE EXTINGUIR A ALEGRIA DA FÉ CRISTÃ. ALGUNS TÊM PERDIDO O EQUILÍBRIO DA IGREJA DO PRIMEIRO SÉCULO ENTRE A ORTODOXIA E O GOZO DA NOVA VIDA EM CRISTO. 
COMPROMISSO INDIVIDUAL: 
VOCÊ ESTÁ CRESCENDO EM SUA FÉ? É CRISTO O SENHOR DE SUA VIDA, OU VOCÊ ESTÁ VIVENDO PARA SI MESMO? HÁ EQUILÍBRIO ENTRE DOUTRINA E PRÁTICA EM SUA VIDA? VOCÊ EXPRESSA A ALEGRIA DE SER SALVO? 
5 - DIMINUIÇÃO DA ENFASE DO SACERDÓCIO DO CRISTÃO.
QUASE NÃO EXISTEM MINISTROS PROFISSIONAIS REMUNERADOS NO MORMONISMO, QUALQUER MEMBRO TEM PELO MENOS UMA RESPONSABILIDADE NA SEITA. DE FATO, MUITOS MILHARES DE SEUS JOVENS SENTEM-SE HONRADOS EM GASTAR DOIS ANOS EM SERVIÇO MISSIONÁRIO DE TEMPO INTEGRAL. TODAS AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ BATIZADAS SÃO MINISTROS, E FAZEM VISITAS DE PORTA EM PORTA E 'DOUTRINAM' NAS PRAÇAS VÁRIAS HORAS POR SEMANA. OS NOVOS MOONISTAS SÃO USADOS QUASE QUE IMEDIATAMENTE NAS RUAS PARA LEVANTAR FUNDOS E FAZER RECRUTAMENTO. NAS SEITAS MAIS POPULARES, CADA PESSOA INDIVIDUALMENTE FAZ PARTE DO MINISTÉRIO, ELA É IMPORTANTE E NECESSÁRIA.
MUITAS IGREJAS EVANGÉLICAS, EM CONTRASTE, PERDERAM A VISÃO DA DOUTRINA DO SACERDÓCIO DO CRENTE. DE ACORDO COM A BÍBLIA, OS CRISTÃOS SÃO IGUAIS PERANTE DEUS, E CADA UM TEM A RESPONSABILIDADE DE SERVI-LO. MAS, EM VEZ DE TODOS OS MEMBROS SE ENVOLVEREM NO TRABALHO, FREQÜENTEMENTE APENAS UM PEQUENO NÚMERO ESTÁ EXERCENDO O MINISTÉRIO. OS JOVENS, PROCURANDO POR MEIOS DE EXPRESSAR O SEU IDEALISMO, PODEM SER FORÇADOS A FAZÊ-LO FORA DE SUAS IGREJAS.
NOVOS CONVERTIDOS, GERALMENTE NÃO SÃO SOLICITADOS PARA AJUDAR NOS TRABALHOS DA IGREJA. HÁ, TAMBÉM, UMA TENDÊNCIA ENTRE OS CRISTÃOS DE FAZER OS PASTORES E LÍDERES DE SEMINÁRIOS DE "GURUS". NÃO EXERCENDO SEUS PRIVILÉGIOS E RESPONSABILIDADES DE ESTUDAR DIRETAMENTE A BÍBLIA, ELES ACEITAM SEM RACIOCINAR O QUE É PREGADO E ENSINADO. ALGUNS CRENTES HABITUALMENTE CITAM O QUE DISSERAM OUTROS HOMENS, SUBSTITUINDO A BÍBLIA POR SUAS PALAVRAS, COMO AUTORIDADE FINAL. ESTA ATITUDE FORTALECE OS MEIOS PARA QUE UM LÍDER DE UMA SEITA POSSA DOMINAR UMA PESSOA OU ATÉ UMA CONGREGAÇÃO INTEIRA. 

COMPROMISSO INDIVIDUAL:
VOCÊ SABE QUAL É O SEU DOM ESPIRITUAL? COMO VOCÊ O ESTÁ USANDO? VOCÊ TEM PELO MENOS UMA RESPONSABILIDADE NA IGREJA? VOCÊ COMPARA AQUILO QUE LHE ENSINAM COM A BÍBLIA? VOCÊ ESTÁ CENTRALIZADO NA BÍBLIA OU NUM LÍDER ECLESIÁSTICO? 
COMPROMISSO GERAL:
COMO VOCÊ ESTÁ AJUDANDO CADA MEMBRO A DESCOBRIR E USAR O SEU DOM ESPIRITUAL? TODOS OS SEUS MEMBROS TÊM DEVERES E RESPONSABILIDADES NA IGREJA? QUAIS OPORTUNIDADES DE PARTICIPAÇÃO NOS SERVIÇOS DA IGREJA ESTÃO À DISPOSIÇÃO PARA SEREM FEITOS POR JOVENS OU NOVOS CONVERTIDOS? QUANTAS OPORTUNIDADES VOCÊ OFERECE PARA O SEU POVO TIRAR DÚVIDAS SOBRE SEUS SERMÕES E PALESTRAS? 

6  -  COLAPSO DA FAMÍLIA.
A DESINTEGRAÇÃO DA UNIÃO FAMILIAR TRADICIONAL E O CONFLITO DAS GERAÇÕES NA SOCIEDADE MODERNA NÃO ESTÃO LIMITADOS AOS NÃO-CRENTES. A MIGRAÇÃO POPULACIONAL DOS MEIOS RURAIS PARA OS GRANDES CENTROS URBANOS TEM COLABORADO PARA ACELERAR ESTE PROCESSO. O COLAPSO DA FAMÍLIA ESTÁ SE TORNANDO CADA VEZ MAIS PROEMINENTE ENTRE OS CRISTÃOS, TORNANDO OS JOVENS MAIS VULNERÁVEIS. 
OS PAIS FREQÜENTEMENTE ESTÃO MUITO OCUPADOS COM SEUS EMPREGOS E ATIVIDADES SEM FIM NA IGREJA, PARA PODER GASTAR TEMPO COM A FAMÍLIA. EM ALGUNS LARES CRISTÃOS, A COMUNICAÇÃO E O SABER OUVIR ENTRE OS MEMBROS DA FAMÍLIA SÃO RAROS. AS CRIANÇAS OBSERVAM OS SEUS PAIS FALANDO DE FORMA MAIS "BONDOSA" NO TEMPLO DO QUE EM CASA, E IMEDIATAMENTE OS CLASSIFICAM DE HIPÓCRITAS.
ADOLESCENTES E JOVENS EM IDADE ESCOLAR, QUE RECEBEM POUCA ATENÇÃO EM CASA, TENDEM A SEGUIR GRUPOS QUE POSSUEM UMA IMAGEM DE FAMÍLIA. A SEITA MOON, A FAMÍLIA, E MUITAS SEITAS AFRO-BRASILEIRAS SÃO GRUPOS ÁVIDOS PARA COMPADECER-SE POR ALGUÉM NESSA SITUAÇÃO. ELES FALAM DE SEUS GRUPOS COMO FAMÍLIAS QUE OFERECEM TUDO A UMA PESSOA QUE NÃO ESTÁ RECEBENDO A DEVIDA ATENÇÃO EM CASA. COM ÊNFASE NUM FORTE PROGRAMA DE UNIÃO FAMILIAR, O MORMONISMO ATRAI CRENTES QUE ESTÃO DESILUDIDOS DEVIDO À HIPOCRISIA E A SECULARIZAÇÃO QUE OBSERVAM NAS FAMÍLIAS CRISTÃS. 
COMPROMISSO INDIVIDUAL:
QUANTO TEMPO VOCÊ PASSA COM SUA FAMÍLIA? QUAL A SUA MELHOR MANEIRA DE SE COMUNICAR E ESCUTAR OS MEMBROS DE SUA FAMÍLIA? ELES SABEM QUE VOCÊ OS AMA INCONDICIONALMENTE, TANTO COM SUAS PALAVRAS COMO COM SUAS AÇÕES? PAIS, VOCÊS MOSTRAM AMOR DETERMINANDO REGRAS E DISCIPLINA? SUAS AÇÕES EM CASA REFLETEM AQUILO QUE VOCÊS PROFESSAM CRER?
COMPROMISSO GERAL: 
VOCÊ PROCURA RESERVAR PELO MENOS UMA NOITE LIVRE DE TODAS AS ATIVIDADES E REUNIÕES DA IGREJA? VOCÊ INCENTIVA AS FAMÍLIAS DE SUA IGREJA A PASSAREM TEMPO JUNTAS? QUE ESTÍMULO VOCÊ OFERECE PARA QUE AS FAMÍLIAS FAÇAM O CULTO DOMÉSTICO? 

7 - IGNORÂNCIA SOBRE AS SEITAS.
MUITAS SEITAS SÃO FALSIFICAÇÕES DO CRISTIANISMO. NUM CONTATO INICIAL COM UM MEMBRO A FAMÍLIA, OU OUTRAS SEITAS PSEUDOCRISTÃS, VOCÊ CONCLUIRIA FACILMENTE QUE ESTARIA FALANDO COM CRENTE EVANGÉLICO. SE UM MOONISTA BEM DOUTRINADO SABE QUE VOCÊ É UM CRISTÃO, ELE VAI TECER SUA CONVERSA DE TAL FORMA QUE SOE COMO SE FOSSE UM CRISTÃO. 
OUTROS, POR FALTA DE CONHECIMENTO, NÃO PERCEBEM QUE CERTAS ENTIDADES NÃO SECTÁRIAS - TAIS COMO A ORDEM ROSA CRUZ (AMORC), A MAÇONARIA, A CULTURA RACIONAL ETC. - SÃO DE FATO, RELIGIÕES NÃO CRISTÃS. ALGUMAS SEITAS ORIENTAIS, COMO A SEICHO-NO-IE, E ARTE MAHIKARI, ACEITAM PESSOAS DE QUALQUER RELIGIÃO, FACILITANDO ASSIM O ENVOLVIMENTO DE CRISTÃOS. OUTRAS PESSOAS, ATÉ EVANGÉLICAS, SE ENVOLVEM COM A ASTROLOGIA, O "MÉTODO SILVA", O USO DE PIRÂMIDES, OU IOGA, IGNORANDO A ORIGEM OCULTISTA DELAS. CONTUDO, A FAMILIARIDADE COM AS DOUTRINAS DAS SEITAS E SEUS MÉTODOS DE RECRUTAMENTO VAI AJUDÁ-LO A DETECTÁ-LOS E A LIVRAR-SE DE SER ENGANADO POR ELES.
COMPROMISSO INDIVIDUAL: 
O QUE VOCÊ SABE ACERCA DAS CRENÇAS E PRÁTICAS DAS SEITAS MAIS DESTACADAS? VOCÊ SABE COMO ABORDAR OS MEMBROS DAS SEITAS A FIM DE GANHÁ-LOS PARA CRISTO? VOCÊ PROCURA ALERTAR SEUS FAMILIARES E AMIGOS SOBRE O PERIGO DAS SEITAS, PARA PROTEGÊ-LOS? 
COMPROMISSO GERAL: 
VOCÊ DÁ AULAS, AO MENOS UMA VEZ POR ANO, AOS MEMBROS DE SUA IGREJA SOBRE AS DOUTRINAS DAS SEITAS E COMO EVANGELIZAR OS SEUS ADEPTOS? VOCÊ INFORMA AO SEU REBANHO SOBRE OS NOVOS GRUPOS DE SEITAS QUE ESTÃO ATIVOS EM SUA REGIÃO? EM QUE NÍVEL O ALERTAR OS SANTOS ESTÁ EM SEU MINISTÉRIO? 
O NOVO TESTAMENTO E OS ENCONTROS FECHADOS.
JESUS LEVOU SEUS DISCÍPULOS PARA UM RETIRO ESPIRITUAL E CERCA DE 500 PESSOAS O ACOMPANHARAM. ELE LHES ENSINOU AS MESMAS COISAS. NÃO TINHAM ELES GRANDES VERDADES CONHECIDAS SÓ POR UM GRUPO SELETO. PAULO MENCIONA QUE DESCRENTES ESTAVAM PRESENTES NAS REUNIÕES DO NOVO TESTAMENTO.  "E SE TU BENDISSERES APENAS EM ESPÍRITO, COMO DIRÁ O INDOUTO O AMÉM DEPOIS DA TUA AÇÃO DE GRAÇAS? VISTO QUE NÃO ENTENDE O QUE DIZES." 1 CO 14.16:
NÃO HÁ EVIDÊNCIA DE PAULO SER DOUTRINADO POR MEIO DE GRUPOS DE CÉLULAS. NÃO HÁ EVIDÊNCIAS DE QUE ELES SE SENTARAM COM PAULO E LHE DISSERAM QUE ELE SE SUBMETESSE À AUTORIDADE DELES. NÃO HÁ EVIDÊNCIA DE QUALQUER "PROGRAMA DE SUPER-SUBMISSÃO".
FONTE - DEFESA DA FÉ - ICP 

"Quando DEUS trabalha O HOMEM muda!" 
Prof. Abdias Barreto. 

Contatos: (85).8857-5757. 
profabdias@gmail.com


sexta-feira, 27 de julho de 2012

ESCATOLOGIA BÍBLICA - COMO INTERPRETA-LA?

MÉTODOS DE INTERPRETAÇÃO DA ESCATOLOGIA BÍBLICA.


Desejo de forma simples mostrar-lhes os métodos utilizados na interpretação de porções bíblicas que concerne ao futuro. Lembrando que, na história da Igreja tem sido adotados vários métodos de interpretação no que tange às escrituras proféticas. No entanto, faz-se necessário o bom conhecimento e a maneira correta de se aplicar dois métodos de interpretação que devem merecer nossa atenção, Devo Salientar que Por ser membro da ASSEMBLEIA DE DEUS NO BRASIL, Adoto o método literal, Pre-Tribulacinista, Dispensacionalista e Pre-milenarista.

1 – MÉTODO ALEGÓRICO OU FIGURADO

O termo alegoria é definido, por alguns teólogos, como qualquer declaração de fatos supostos que admite a interpretação literal, mas que requer, também, uma interpretação moral ou figurada. Se não atentarmos para o sentido real, figurado ou literal, de uma profecia bíblica, negamos o seu valor histórico, dando uma interpretação de menos importância, e assim corremos o risco de anular a revelação de Deus naquela profecia. Portanto, o método alegórico deve ser utilizado de maneira correta. Leia Gl. 4.21-31 e observe que Paulo tomou figuras ilustradas no texto com focos literais da antiga dispensação, mas apresentou-os como sobras de eventos futuros.
2 – MÉTODO LITERAL OU TEXTUAL.
Este método se preocupa em dar um sentido literal às palavras da profecia, interpretando-as conforme o significado ordinário, de uso normal. A preocupação básica é interpretar o texto sagrado consoante a natureza da inspiração da profecia.
Ambos os métodos são válidos. Há uma perfeita ralação entre as verdades literais e a linguagem figurada. Por exemplo, no texto de Jo.1.6 diz: “Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. E em Jo. 1.29 nos fala: “Eis aí o Cordeiro de Deus.” Palavras pronunciadas pelo próprio João Batista ao ver a Jesus.
Agora vejamos os métodos de interpretação aplicado em ambos os textos. O 1º está falando literalmente de um homem, cujo nome, de fato, era João. No 2º texto João Batista usou a forma figurada para denotar a pessoa de Jesus.
Em se tratando do livro de Apocalipse, que em sua parte, é um livro escatológico, têm surgido diversas classes de intérpretes, as quais devem ser conhecidas pelos pastores e por aqueles que exercem o Ministério da Palavra. Por quê?
Porque os crentes pentecostais, em sua maioria, não sabem em que classe de intérpretes do Apocalipse, eles se encaixam, e por conseguinte deixam ser levados por ensinos deturpantes que contradizem a Palavra de Deus. Por exemplo, os Adventistas do 7º Dia, vêem a vinda de Cristo, a este mundo, como em uma única vez, sem ser dividida em duas fases distintas, e assim não dão espaço para o período da Grande Tribulação e a restauração de Israel.
VEJAMOS ALGUNS INTERPRETES COM SEUS ENSINOS.
1º - OS PRETERISTAS. 
Esta classe crê que a maior parte do Apocalipse já foi cumprida, a muito tempo atrás. Eles relegam tudo ao passado. O relacionamento que eles fazem entre o texto e o evento é muito subjetivo e precário.
2º - OS HISTORICISTAS.
Os intérpretes que assumem esta posição procuram encaixar todos os acontecimentos previstos no Apocalipse em várias épocas da história humana. Interpretam o Apocalipse como um estudo progressivo dos destinos da Igreja desde o seu início até a consumação. Estes asseveram que as profecias estão cumpridas em parte e em parte estão por cumprir e algumas estão sendo cumpridas diante de nós.
3º - OS FUTURISTAS.
Estes interpretes dividem-se em dois grupos:
A - Futuristas extremos. Acham que todo o Apocalipse refere-se à vinda do Senhor Jesus Cristo.
B - Futuristas simples. Aceitam que os 3 primeiros caps. do livro como já cumpridos; tudo o que se segue refere-se à aparição vindoura de Cristo. A maioria dos Pentecostais Fundamentalistas tem uma visão futurista do livro. Sob esta perspectiva tudo, ou quase tudo que é narrado após o cap. 4, será cumprido num curto espaço de tempo (sete anos) após o término da Dispensação da Igreja.
OS INTERPRETES DO APOCALIPSE estão também divididos na forma COMO ABORDAM O MILÊNIO. (Os mil anos mencionados no cap. 20). A maneira como se encara o Milênio afeta a interpretação do Apocalipse como um todo. É necessário IDENTIFICA-LOS.
1º - AMILENISTAS. Ensinam que não haverá nenhum Milênio, pelo menos não na terra. Alguns simplesmente dizem que, como o Apocalipse é simbólico, não há sentido algum em se falar em Milênio Literal. Outros interpretam os mil anos como algo que ocorrerá no céu. Pegam o número mil como um algarismo ideal, um período indefinido. Assim, esperam que este período da Igreja termine com a ressurreição e julgamento geral, tanto do justo como do ímpio, seguindo-se imediatamente o reinado eterno no novo céu e na nova terra. A maioria dos amilenistas consideram Agostinho (o bispo de Hipona, no Norte da África 396 – 430 d.C.) um dos principais promotores do amilenismo.
2º - PÓS-MILENISTAS. Começou a espalhar-se a partir do século XVIII. Seus adeptos interpretam os mil anos do Milênio, como uma extensão do período atual da Igreja. Ensinam que o poder do Evangelho ganhará todo o mundo para Cristo, e a Igreja assumirá o controle dos reinos seculares. Após haverá a ressurreição e o julgamento geral tanto do justo como do ímpio, seguido pelo reinado eterno no novo céu e na nova terra. O pós-milenismo também espiritualiza irritadamente as profecias da Bíblia, não dando espaço à restauração de Israel ou reinado literal de Cristo sobre a terra durante o Milênio.
3º - PRÉ-MILENISTAS. Acreditam que, o retorno de Cristo, a ressurreição dos salvos e o tribunal de Cristo, será antes do Milênio. No final deste, Satanás será solto, engana as nações, mas há de ser prontamente derrotado para todo o sempre. Segue-se o julgamento do GTB, que sentenciará o restante dos mortos. Aí sim, teremos o reino eterno no novo céu e na nova terra. A perspectiva Pré-Milenista e futurista simples, juntas, encaixam-se melhor nas orientações de Jesus. É essa classe de intérpretes do Apocalipse que a maioria dos Pentecostais pertence. INCLUSIVE NÓS OS ASSEMBLEIANOS.
*O plano Divino Através dos Séculos - OLSON, N. Laurence.
*O calendário da profecia - GILBERTO, Antônio. 

"Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém." Judas, 25


"Quando DEUS Trabalha O HOMEM Muda!"

Contatos: (85).8857-5757. profabdias@gmail.com

quarta-feira, 25 de julho de 2012

O PURGATÓRIO DA IGREJA CATÓLICA ROMANA

O PURGATÓRIO DA IGREJA CATÓLICA
A idéia do Purgatório tem suas raízes no budismo e em outros sistemas religiosos da antigüidade. Até a época do papa Gregório I, porém, o Purgatório não havia sido oficialmente reconhecido como parte integrante da doutrina romanista.
Esse papa adicionou o conceito de fogo purificador à crença, então corrente, de que havia um lugar entre o céu e o inferno, para onde eram enviadas as almas daqueles que não eram tão maus, a ponto de merecerem o inferno, mas também, não eram tão bons, a ponto de merecerem o céu. Assim, surgiu a crença de que o fogo do Purgatório tem poder de purificar a alma e todas as suas escóri­as, até fazê-la apta a se encontrar com Deus.
Alegadas Razões Desse Dogma
Buscando provar a existência do Purgatório, a Igreja Romana apela para algumas passagens bíblicas, das quais extrai apenas fal­sas inferências, e nada mais. Entre os versículos preferidos, desta­cam-se os seguintes:
• "Se alguém proferir alguma palavra contra o Filho do ho­mem ser-lhe-á isso perdoado; mas se alguém falar contra o Espíri­to Santo, não lhe será isso perdoado, nem neste mundo nem no porvir" (Mt 12.32).
• "Digo-vos que toda palavra frívola que proferirem os ho­mens, dela darão conta no dia de juízo" (Mt 12.36).
• "...se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo" (1 Co 3.15).
Uma Descrição do Purgatório
De acordo com a teologia romanista, o Purgatório, além de ser um lugar de purificação, é também um lugar onde a alma cum­pre pena; pelo que o fogo do Purgatório deve ser temido grande­mente. O fogo do Purgatório será mais terrível do que todo o sofri­mento corporal reunido. Um único dia nesse lugar de expiação poderá ser comparado a milhares de dias de sofrimentos terrenos.
O escritor católico Mazzarelli faz seus cálculos à base de trin­ta pecados veniais por dia, e, para cada pecado, um dia no Purga­tório, perfazendo um total de mil e oitocentos anos, caso o peca­dor tenha sessenta anos de vida na Terra, devendo-se acrescentar aos veniais os pecados mortais absolvidos, mas não plenamente expiados.
Quem Vai para o Purgatório?
A pergunta: Que espécie de gente vai para o Purgatório? — responde o papa Pio IV: "1. Os que morrem culpados de pecados menores, que costumamos chamar veniais, e que muitos cristãos cometem — e que, ou por morte repentina, ou por outra razão, são chamados desta vida, sem que se tenham arrependido destas faltas ordinárias. 2. Os que, tendo sido formalmente culpados de peca­dos maiores, não deram plena satisfação deles à justiça divina" (A Base da Doutrina Católica Contida na Profissão da Fé).
Apesar do fato de as almas no Purgatório, segundo o ensino da Igreja Romana, terem sido já justificadas no batismo e pelo batismo, a justiça divina, contudo, não ficou plenamente satisfei­ta. Desse modo, a alma, embora escape do inferno, precisa supor­tar, por causa dos seus pecados que ainda restam por expiar depois da morte, a punição temporária do Purgatório. Isso foi categorica­mente afirmado pelo Concilio de Trento: "Se alguém disser que, depois de receber a graça da justificação, a culpa é perdoada ao pecador penitente, e que é destruída a penalidade da punição eter­na, e que nenhuma punição fica para ser paga, ou neste mundo ou no futuro, antes do livre acesso ao reino a ser aberto, seja anátema" (Seção VI).
Sufrágios pelos que se Acham no Purgatório
Entre o que pode assistir aos que se encontram no Purgatório, há três atos que se destacam no ensino romanista, que são:
Orações pelos mortos
E de se supor que a prática romanista de interceder pelos mor­tos tenha-se gerado da falsa interpretação às seguintes palavras de Paulo: "Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súpli­cas, orações, intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens" (1 Tm2.1)
Missas
As missas são tidas como os principais recursos empregados em benefício das almas que estão no Purgatório, pois, segundo o ensino romanista, a missa beneficia não só a alma que sofre no Purgatório, como também acumula méritos àqueles que as mandam dizer.
Esmolas
Dar esmolas com a intenção de aplicá-las nas necessidades da alma que pena no Purgatório "é jogar água nas chamas que a de­voram". Pretende a Igreja Romana que, "exatamente como a água apaga o fogo mais violento, assim a esmola lava o pecado".
Ainda sobre o Purgatório, o Concilio de Trento declarou: "Des­de que a Igreja Católica, instruída pelo Espírito Santo nos sagra­dos escritos e pela antiga tradição dos Pais, tem ensinado nos san­tos concílios, e ultimamente, neste Concilio Ecumênico, que há o Purgatório, e que as almas nele retidas são assistidas pelos sufrá­gios das missas, este santo concilio ordena a todos os bispos que, diligentemente, se esforcem para que a salutar doutrina concernente ao Purgatório — transmitida a nós pelos veneráveis pais e sagra­dos concílios — seja crida, sustentada, ensinada e pregada em toda parte pelos fiéis de Cristo" (Seção XXV).
Refutação
O Purgatório não é somente uma fábula engenhosamente mon­tada, mas a sua doutrina se constitui num vergonhoso sacrilégio à honra de Deus e num desrespeito à obra perfeita efetuada por Cristo na cruz do Calvário. Essa doutrina, além de absurda e cruel, supõe os seguintes disparates e blasfêmias:
• Não obstante Deus declare que já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus (Rm 8.1), contudo, Ele se con­tradiz a si mesmo quando lança o salvo no Purgatório, para expiar os pecados já purgados.
• Deus não queima os seus filhos no Purgatório para satisfazer à sua justiça já satisfeita pelo sacrifício de Cristo, mas para satis­fazer a si mesmo!
• Ao lançar seus filhos no Purgatório, Deus está com isto di­zendo que o sacrifício do seu Filho foi imperfeito e insuficiente!
• Jesus, que dos céus intercede pelos pecadores, vê-se impos­sibilitado de livrar as almas que estão no Purgatório, porque só o papa possui a chave daquele cárcere!
• Dizer que as almas expiam suas faltas no Purgatório é atri­buir ao fogo o poder do sacrifício de Jesus, e ignorar completa­mente a obra que Cristo efetuou no Gólgota!
• Que o castigo do pecado fica para depois de perdoado!
Estes disparates provêm dum erro da teologia vaticana, se­gundo o qual a obra expiatória de Cristo satisfez a pena devida aos pecados cometidos antes do batismo, e não daqueles que foram cometidos posteriormente.
Todas estas incoerências sobre o dogma do Purgatório estão em contradição com as seguintes afirmações bíblicas:
a. Quanto à perfeita libertação do pecado (Jo 8.32,36).
b. Quanto ao completo livramento do juízo vindouro (Jo 5.24).
c. Quanto à completa justificação pela fé (Rm 5.1,2).
d. Quanto à intercessão de Cristo (1 Jo 2.1).
e. Quanto ao atual estado dos salvos mortos (Lc 23.43;Ap 14.13).
f. Quanto à bem-aventurada esperança do salvo (Fp 1.21,23;2Co5.8).
O que a Igreja Católica Romana chama "Purgatório", a Bíblia chama "Gehenna", ou "Inferno", lugar de suplício eterno, de onde aqueles que nele são lançados, jamais sairão (leia Lucas 16.19-31 e veja que nada poderá ser feito em favor daqueles infelizes que são lançados nesse lugar de terrível suplício). A esses está ordena­do morrerem uma só vez, vindo depois disto o juízo (Hb 9.27), quando serão julgados e condenados ao Lago de Fogo.
A salvação oferecida por Cristo é uma salvação perfeita e to­tal, pois ela é o resultado da misericórdia de Deus e do sangue do seu amado Filho.
"Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (1 Jo 1.7,9).
O purgatório do crente é o sangue de Jesus.
Seitas & Heresias - R. F. Oliveira - CPAD.
Quando DEUS trabalha O HOMEM Muda! 
Prof. Abdias Barreto. 
Contatos: (85).8857-5757. profabdias@gmail.com

sexta-feira, 20 de julho de 2012

RESPONSABILIDADES DA IGREJA


A PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO. "Lucas 10: 30."
A parábola do Bom Samaritano destaca a verdade de que compaixão e cuidado são coisas intrínsecas à fé salvadora e à obediência a Cristo. Amar a Deus deve ser também amar ao próximo.
(1) A vida e a graça que Cristo transmite aos que o aceitam produzem amor, misericórdia e compaixão pelos necessitados e aflitos. Esse amor é um dom da graça de Deus através de Cristo. O crente tem a responsabilidade de viver à altura do amor do Espírito Santo tendo, dentro dele, um coração não endurecido.
(2) Quem afirma ser cristão, mas tem o coração insensível diante do sofrimento e da necessidade dos outros, demonstra cabalmente que não tem em si a vida eterna (vv. 25-28; 31-37; cf. Mt 25.41-46; 1 Jo 3.16-20).
Repartir é a disposição, capacidade e poder, dados por DEUS a quem tem recursos além das necessidades básicas da vida, para contribuir livremente com seus bens pessoais, para suprir necessidades da obra ou do povo de DEUS (2 Co 8.1-8; Ef 4.28). Com liberalidade. AV: "Com simplicidade". NEB: "De todo o seu coração" .
 
O AMOR DE DEUS DERRAMADO EM NOSSOS CORAÇÕES É QUE NOS IMPULSIONA A TRABALHAR, A FAZER ALGO EM PROL DE DEUS E SUA OBRA, DE AJUDAR AOS OUTROS, POIS É NATURAL, É ESPIRITUAL, QUE FAÇAMOS ALGO PARA MELHORAR A VIDA DE QUEM AMAMOS, ENTÃO, COMO SOMOS REPRESENTANTES DE DEUS NA TERRA, AMAMOS A TODOS INDISTINTAMENTE, COMO DEUS AMA.
DEUS FORNECE TODAS AS FERRAMENTAS PARA NOSSO TRABALHO, É SÓ NOS COLOCARMOS À SUA DISPOSIÇÃO.
Todo serviço no Reino de DEUS deve ser feito à base de verdadeira fé. É o Senhor que habilita o crente, mediante dotação especial, a realizar sua obra da melhor maneira possível. É dele que provém toda a ciência, capacidade e dons ministeriais e espirituais. Por isso, não podemos fazer a obra de DEUS com espírito de competição. O único objetivo do nosso labor deve ser o desenvolvimento e o bem-estar do corpo de CRISTO.
SERVIÇO.
É a disposição, ou capacidade, concedida por DEUS, para o crente servir e prestar assistência prática aos membros e aos líderes da igreja. Este dom se manifesta em toda forma de ajuda que os cristãos possam prestar uns aos outros, em nome de JESUS. Os que possuem este dom têm prazer em ministrar aos santos as coisas materiais que lhes são necessárias. O dom do serviço, como qualquer outro, é essencial para o bom funcionamento do corpo de CRISTO. Quem o tem deve exercê-lo empregando toda a sua energia, no temor do Senhor.
SERVIR É ESPIRITUAL, SERVIR É AMAR, SERVIR É DEIXAR DEUS AGIR, SERVIR É A FUNÇÃO BÁSICA DE TODO O CRENTE, POIS ASSIM ENSINARAM JESUS E PAULO:
Lc 22.27 Pois qual é maior: quem está à mesa, ou quem serve? Porventura não é quem está à mesa? Eu, porém, entre vós sou como aquele que serve.
ATOS 20.35 Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor JESUS, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.
 2 Coríntios 9.1 Quanto à administração que se faz a favor dos santos, não necessito escrever-vos, 2 porque bem sei a prontidão do vosso ânimo, da qual me glorio de vós, para com os macedônios, que a Acaia está pronta desde o ano passado, e o vosso zelo tem estimulado muitos. 3 Mas enviei estes irmãos, para que a nossa glória, acerca de vós, não seja vã nessa parte; para que (como já disse) possais estar prontos, 4 a fim de, se acaso os macedônios vierem comigo e vos acharem desapercebidos, não nos envergonharmos nós (para não dizermos, vós) deste firme fundamento de glória. 5 Portanto, tive por coisa necessária exortar estes irmãos, para que, primeiro, fossem ter convosco e preparassem de antemão a vossa bênção já antes anunciada, para que esteja pronta como bênção e não como avareza. 6 E digo isto: Que o que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia em abundância em abundância também ceifará. 7 Cada um contribua segundo propôs no seu coração, não com tristeza ou por necessidade; porque DEUS ama ao que dá com alegria. 8 E DEUS é poderoso para tornar abundante em vós toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, toda suficiência, superabundeis em toda boa obra, 9 conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres, a sua justiça permanece para sempre. 10 Ora, aquele que dá a semente ao que semeia e pão para comer também multiplicará a vossa sementeira e aumentará os frutos da vossa justiça; 11 para que em tudo enriqueçais para toda a beneficência, a qual faz que por nós se dêem graças a DEUS. 12 Porque a administração desse serviço não só supre as necessidades dos santos, mas também redunda em muitas graças, que se dão a DEUS, 13 visto como, na prova desta administração, glorificam a DEUS pela submissão que confessais quanto ao evangelho de CRISTO, e pela liberalidade de vossos dons para com eles e para com todos, 14 e pela sua oração por vós, tendo de vós saudades, por causa da excelente graça de DEUS que em vós há. 15Graças a DEUS, pois, pelo seu dom inefável.
9:1-5 No início do capítulo 8, Paulo usou o exemplo dos macedônios para incentivar a liberalidade dos coríntios. Agora, ele disse que usou, também, o exemplo dos coríntios para estimular os macedônios! Devemos estimular uns aos outros em amor e boas obras (veja Hebreus 10:24).
Paulo enviou os irmãos citados no fim do capítulo 8 para evitar algum constrangimento mais tarde. Eles ajudariam os coríntios a preparar a oferta, para que não se envergonhassem com a chegada de outros irmãos depois.
9:6-15 Paulo incentiva os coríntios a darem generosamente. Ele cita um princípio bem conhecido nas Escrituras: ceifamos o que semeamos.
A oferta é voluntária, segundo a decisão de cada um para dar com alegria.
**Obs.: É obrigação contribuir? Aqui, Paulo diz que a oferta não deve ser feita por necessidade, mas 1 Coríntios 16:1-2 aborda o mesmo assunto como ordem. Podemos entender assim: é a responsabilidade de cada cristão contribuir, mas não devemos fazê-lo só por causa da obrigação. Devemos entender o propósito da oferta e participar com alegria, reconhecendo o privilégio de participar do trabalho do Senhor.
Ao invés de segurar o nosso dinheiro, recusando utilizá-lo para servir a outros, devemos lembrar que todas as nossas bênçãos e a nossa capacidade de dar vêm do Senhor.
**Obs.: O versículo 9 é uma citação de Salmo 112:9. O Salmo 112 inteiro fala sobre a importância da bondade e fidelidade do servo para ser abençoado por DEUS.
A generosidade dos gentios em ajudar os santos necessitados de Jerusalém teve outros benefícios:
-Além de ajudar aqueles santos, demonstrou gratidão para com DEUS.
-Além de ajudar aqueles santos, demonstrou comunhão com todos os santos.
Por outro lado, os outros santos oravam em favor dos coríntios. Quem merece a gratidão e a glória é o próprio DEUS. 
Rm 12.13 comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade; 14 abençoai aos que vos perseguem; abençoai e não amaldiçoeis. 15 Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram. 16 Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos.
As Responsabilidades da Igreja (Discípulos Agindo Coletivamente) 
O principal papel da igreja é espiritual. 1 Timóteo 3:14-15 diz: "Escrevo-te estas coisas, esperando ir ver-te em breve; para que, se eu tardar, fiques ciente de como se deve proceder na casa de DEUS, que é a igreja do DEUS vivo, coluna e baluarte da verdade." A missão básica da igreja é espiritual, não física nem social. Porém, pessoas passam por dificuldades financeiras, e precisamos seguir o padrão do Novo Testamento para saber como lidar com tais necessidades. Antes de chegar a conclusões, vamos examinar a evidência, considerando diversos trechos que falam sobre igrejas do primeiro século.
"Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade" (Atos 2:44-45).
"Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum. Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor JESUS, e em todos eles havia abundante graça. Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores correspondentes e depositavam aos pés dos apóstolos; então, se distribuía a qualquer um à medida que alguém tinha necessidade" (Atos 4:32-35).
"Ora, naqueles dias, multiplicando-se o número dos discípulos, houve murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas deles estavam sendo esquecidas na distribuição diária. Então, os doze convocaram a comunidade dos discípulos e disseram: Não é razoável que nós abandonemos a palavra de DEUS para servir às mesas. Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do ESPÍRITO e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço; e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra" (Atos 6:1-4).
"Naqueles dias, desceram alguns profetas de Jerusalém para Antioquia, e, apresentando-se um deles, chamado Ágabo, dava a entender, pelo ESPÍRITO, que estava para vir grande fome por todo o mundo, a qual sobreveio nos dias de Cláudio. Os discípulos, cada um conforme as suas posses, resolveram enviar socorro aos irmãos que moravam na Judéia; o que eles, com efeito, fizeram, enviando-o aos presbíteros por intermédio de Barnabé e de Saulo" (Atos 11:27-30).
"Mas, agora, estou de partida para Jerusalém, a serviço dos santos. Porque aprouve à Macedônia e à Acaia levantar uma coleta em benefício dos pobres dentre os santos que vivem em Jerusalém" (Romanos 16:25-26).
"Quanto à coleta para os santos, fazei vós também como ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que se não façam coletas quando eu for. E, quando tiver chegado, enviarei, com cartas, para levarem as vossas dádivas a Jerusalém, aqueles que aprovardes" (1 Coríntios 16:1-3).
"...pedindo_nos, com muitos rogos, a graça de participarem da assistência aos santos" (2 Coríntios 8:4).
"Ora, quanto à assistência a favor dos santos, é desnecessário escrever-vos....Porque o serviço desta assistência não só supre a necessidade dos santos, mas também redunda em muitas graças a DEUS, visto como, na prova desta ministração, glorificam a DEUS pela obediência da vossa confissão quanto ao evangelho de CRISTO e pela liberalidade com que contribuís para eles e para todos" (2 Coríntios 9:1,12-13).
O que podemos aprender desses trechos? Quais são os limites colocados por DEUS em relação ao trabalho benevolente da igreja? Observamos no Novo Testamento que:
 Esses versículos falam sobre pessoas necessitadas. A assistência aos santos não é para fornecer luxo ou fazer de todos ricos. JESUS falou em Mateus 6:25-33 que devemos buscar o reino de DEUS e confiar no Senhor para nos dar as coisas necessárias (o que comer, o que beber, com que nos vestir). Uma das maneiras como ele cuida das necessidades dos santos é através da benevolência da igreja, satisfazendo as necessidades dos irmãos pobres.
As pessoas ajudadas pela igreja são os próprios santos, ou irmãos em CRISTO. Algumas pessoas podem estranhar lendo os relatos do Novo Testamento, porque muitas igrejas nos últimos dois séculos se transformaram em grandes agências sociais oferecendo ajuda material para todas as pessoas, cristãs ou não. Os nomes de algumas denominações aparecem com mais freqüência em hospitais e orfanatos do que em casas de oração e louvor. Mas as tendências históricas não mudam os fatos bíblicos. As igrejas do Senhor no Novo Testamento ajudaram os santos necessitados. Como já observamos, cristãos ajudaram outros individualmente e não sobrecarregaram a igreja com tais obras sociais.
O dinheiro da igreja foi usado ou para ajudar os necessitados na própria congregação, ou enviado de uma congregação para outra para ajudar os santos pobres no outro lugar. Nisso encontramos um padrão definido de cooperação entre congregações, onde as mais ricas enviaram dinheiro para suprir as necessidades das congregações mais pobres. O trabalho de benevolência foi feito pelas igrejas quando a necessidade surgiu. O trabalho principal da igreja, o ensinamento da palavra de DEUS, nunca pára. Mas as igrejas nesses exemplos bíblicos não alocaram fundos de rotina a algum trabalho de benevolência. Quando a necessidade surgiu, não mediram esforços para ajudar os irmãos.
 Podemos ver que a ajuda sempre foi dada, não emprestada. A prática de muitas igrejas de oferecer empréstimos que serão pagos de volta à igreja é mais um exemplo da desobediência de homens que seguem opiniões humanas e não respeitam a palavra de DEUS (veja Provérbios 14:12; Isaías 55:8-9; Jeremias 10:23). A igreja não é banco.
Tomando Decisões Sábias
Como seguidores de CRISTO, temos que aceitar nossa responsabilidade para usar o dinheiro da igreja numa maneira que agrada a DEUS. Devemos sempre agir segundo os princípios ensinados por JESUS em Mateus 22:37-39:"Amarás o Senhor, teu DEUS, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo." O amor ao próximo exigirá sacrifícios (Tiago 2:15-16; 2 Coríntios 8:2-4). O amor ao Senhor exigirá cuidadosa adesão ao padrão dele, respeitando os limites que ele nos deu. Por exemplo, pessoas que amam a DEUS não tolerarão a preguiça de homens que desrespeitam a palavra de DEUS: "se alguém não quer trabalhar, também não coma" (2 Tessalonicenses 3:10).
Colocando a palavra de DEUS acima das nossas próprias opiniões, jamais acrescentaremos ao trabalho da igreja algo que DEUS não mandou. A igreja não tem autorização de DEUS para dar ajuda benevolente aos cristãos que não têm necessidade. O papel da igreja é suprir as necessidades da vida diária (Atos 6:1). Ela não pode sustentar os preguiçosos (2 Tessalonicenses 3:10).
Uma vez que o trabalho da igreja é espiritual, especialmente o de ensinar a palavra, ela não deve negligenciar esse aspecto do trabalho em relação aos irmãos necessitados. Presbíteros, evangelistas e outros professores devem orientar irmãos sobre as próprias responsabilidades. O irmão necessitado pode precisar de comida hoje, mas não devemos deixar de ajudá-lo a saber como cuidar de si mesmo amanhã. Devemos ensinar sobre a responsabilidade de cada irmão em relação a sua família (1 Timóteo 5:8). Ele deve trabalhar (2 Tessalonicenses 3:10). Deve procurar viver dentro das suas condições (Lucas 3:14; Atos 20:33-34; 1 Timóteo 6:8). Numa época em que muitas pessoas se afogam em dívidas, devemos exortar os nossos irmãos a falar sempre a verdade (Efésios 4:25; Mateus 5:37). Comprar a prazo quando não se tem condições para pagar é uma maneira de mentir, e pode até chegar a ser fraude.
Enquanto cada irmão deve procurar suas próprias soluções através de trabalho honesto e de boa administração dos seus bens, existem casos de necessidade verdadeira entre cristãos. Devemos praticar o amor não fingido, mostrando a compaixão digna dos filhos de DEUS. Cada um de nós deve ler com freqüência as instruções importantíssimas de Romanos 12:9-16: "O amor seja sem hipocrisia. Detestai o mal, apegando-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. No zelo, não sejais remissos; sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor; regozijai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, na oração, perseverantes; compartilhai as necessidades dos santos; praticai a hospitalidade; abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis. Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram. Tende o mesmo sentimento uns para com os outros; em lugar de serdes orgulhosos, condescendei com o que é humilde; não sejais sábios aos vossos próprios olhos."
 
"Quando DEUS trabalha o homem muda!" 


Prof. Abdias Barreto. 
Contatos: (85).8857-5757. profabdias@gmail.com

quinta-feira, 19 de julho de 2012

DOGMAS E PARADIGMAS DA IGREJA ROMANA

MALABARISMO DOUTRINÁRIO E DOGMAS CRIADOS PARA SUSTENTAR AS DOUTRINAS DO CATOLICISMO ROMANO.



  • SECULO - II. ANO -197 - Zeferino, bispo de Roma, começa um movimento herético contra a divindade de Cristo.
  • SECULO - III. ANO - 217 - Calixto se torna bispo de Roma, pondo-se à frente da propaganda herética e levando a Igreja de Roma para mais longe do caminho de Cristo.
  • SECULO - III. ANO - 270 - Origem da vida monástica no Egito, por Santo Antônio.
  • SECULO - IV. ANO - 370 - Culto dos santos professado por Basílio de Cesaréia e Gregório de Nazianzo. Primeiros indícios do turíbulo (incensário), paramentos e altares nas igre-jas, usos esses introduzidos pela influência dos pagãos convertidos.
  • SECULO - IV. ANO - 400 - Orações pelos mortos e sinal da cruz feito no ar.
  • SECULO - V. ANO - 431 - Maria é proclamada a "Mãe de Deus".
  • SECULO - VI. ANO - 593 - O dogma do Purgatório começa a ser ensinado.
  • SECULO - VI. ANO - 600 - O latim passa a ser usado como língua oficial nas VI celebrações litúrgicas.
  • SECULO - VII. ANO - 609 - Começo histórico do papado.
  • SECULO - VIII. ANO - 758 - A confissão auricular é introduzida na igreja por religiosos do Oriente.
  • SECULO - VIII. ANO - 789 - Início do culto das imagens e das relíquias.
  • SECULO - IX. ANO - 819 - A festa da Assunção de Maria é observada pela pri-meira vez.
  • SECULO - IX. ANO - 880 - Canonização dos santos.
  • SECULO - X. ANO - 998 - Estabelecimento do Dia de Finados.
  • SECULO - X. ANO - 998 - Quaresma.
  • SECULO - X. ANO - 1000 - Cânon da Missa
  • SECULO - XI 1074 Proíbe-se o casamento para os sacerdotes.
  • SECULO - XI 1075 Os sacerdotes casados devem divorciar-se, compulsoriamente, cada um de sua esposa.
  • SECULO - XI 1095 Indulgências plenárias.
  • SECULO - XI 1100 Introduzem-se na igreja o pagamento da missa e o culto aos anjos.
  • SECULO - XI 1115 A confissão é transformada em artigo de fé.
  • SECULO - XII 1025 Entre os cônegos de Lião aparecem as primeiras idéi-as da Imaculada Conceição de Maria.
  • SECULO -XII 1160 Estabelecidos os 7 sacramentos.
  • SECULO - XII 1186 O Concilio de Verona estabelece a "Santa Inquisição".
  • SECULO - XII 1190 Estabelecida a venda de indulgências.
  • SECULO - XII 1200 Uso do rosário por São Domingos, chefe da inquisição.
  • SECULO - XII 1215 A transubstanciação é transformada em artigo de fé.
  • SECULO - XIII 1220 Adoração à hóstia.
  • SECULO - XIII 1226 Introduz-se a elevação da hóstia.
  • SECULO - XIII 1229 Proíbe-se aos leigos a leitura da Bíblia.
  • SECULO - XIII 1264 Festa do Sagrado Coração.
  • SECULO - XIII 1303 A Igreja Católica Apostólica Romana é proclamada como sendo a única verdadeira, e somente nela o homem pode encontrar a salvação...
  • SECULO - XIV 1311 Procissão do Santíssimo Sacramento e a oração da Ave Maria. 
  • XV 1414 Definição da comunhão com um só elemento, a hós-tia. O uso do cálice fica restrito ao sacerdote.
  • SECULO - XV 1439 Os 7 sacramentos e o dogma do Purgatório são trans¬formados em artigos de fé.
  • SECULO - XVI 1546 Conferida à Tradição autoridade igual a da Bíblia.
  • SECULO - XVI 1562 Declara-se que a missa é oferta propiciatória e con-firma-se o culto aos santos.
  • SECULO - XVI 1573 É estabelecida a canonicidade dos livros apócrifos.
  • SECULO - XIX 1854 Definição do dogma da Imaculada Conceição de Maria.
  • SECULO - XIX 1864 Declaração da autoridade temporal do papa.
  • SECULO - XIX 1870 Declaração da infalibilidade papal.
  • SECULO - XX 1950 A assunção de Maria é transformada em artigo de fé.

Vale salientar que alguns dos dados aqui registrados são apenas aproximados, pois muitas e muitas vezes as doutrinas eram discutidas, algumas durante séculos, antes de serem finalmente aceitas e promulgadas como artigos de fé, ou dogmas. Um exemplo disto é o dogma do Purgatório, introduzido na Igreja Romana em 593, mas só declarado artigo de fé no ano de 1439. Seitas & Heresias - Raimundo de Oliveira. CPAD. 

"Quando DEUS Trabalha OHOMEM Muda!"


Contatos: (85).8857-5757. profabdias@gmail.com

quarta-feira, 18 de julho de 2012

MARIA SANTÍSSIMA MÃE DE DEUS

DEUS TEM MÃE???
“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez... E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.” (Jo 1:1-3, 14)

Todo ser humano começa a existir no momento da concepção. A origem da vida inicia-se pela união de um óvulo da mãe a um espermatozóide do pai, como sabemos. Jesus Cristo, entretanto (por ser Deus), já existia ANTES do momento de Sua concepção (como lemos nos versículos acima), pelo Espírito Santo, no ventre de Maria.

Na passagem bíblica onde é relatada a criação do homem, lemos: “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança...” (Gn 1:26). [grifo meu]. O verbo “façamos” (na 3ª pessoa do plural) refere-se ao Deus Triúno: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Logicamente, Jesus Cristo também estava presente no momento da criação.
Em Miquéias 5:2, lemos uma das profecias sobre o nascimento de Jesus Cristo, mostrando Sua eternidade: “E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.” (Mq 5:2) 
A Bíblia nos diz que todas as coisas vieram a existir através de Jesus Cristo, (inclusive os seres humanos e, aqui, Maria, a mãe de Jesus Cristo, está incluída): “Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.” (Cl 1:16).“Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” (Jo 1:3). “Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.” (Jo 1:10). 
O profeta Isaías, ao narrar sobre a vinda do Messias, descreveu algumas de Suas características divinas e, portanto, eternas: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.” (Is 9:6)
Interessante notarmos que as Escrituras, ao se referirem a Melquisedeque, Rei de Salém, mostram-nos que ele foi um tipo, um símbolo do Messias que viria (o Senhor Jesus Cristo), por apresentar as mesmas características (humanamente falando) que o Filho de Deus possui: “Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.” (Hb 7:3).
O Pastor Ron Crisp nos ensina que: “Hebreus 7:3 e 15 deixam claro que Melquisedeque foi um tipo de Jesus Cristo. Assim como Adão, Moisés, Arão ou Davi, ele foi um homem mortal, cuja pessoa e vida, de várias maneiras foram um símbolo de Jesus Cristo.”
Gleason Archer, por sua vez, referindo-se a Hb 7:3, diz-nos que: “O contexto esclarece que Melquisedeque entrou em cena como um tipo do Messias, o Senhor Jesus. A fim de salientar essa característica típica desse sumo sacerdote, o registro bíblico de propósito omite a menção de seu nascimento, filiação, parentesco e linha genealógica. Isso não quer dizer que ele não teve pai (pois até o antítipo, Jesus de Nazaré, teve o Espírito Santo como seu Pai – e é certo que sua mãe, Maria, é mencionada nos evangelhos), nem que ele jamais nascera (pois até Cristo, em sua forma humana, teve seu natal). É que o aparecimento dramático e repentino de Melquisedeque ficou mais saliente quando ele foi apresentado como porta-voz do Senhor a Abraão, servindo como arquétipo do futuro Cristo, que derramaria bênçãos sobre o povo de Deus”.
Jesus Cristo não teve princípio, nem fim, pois Ele é Deus. Sendo Deus, Ele é Eterno. Em Ap 1:8, vemos o próprio Jesus Cristo falando sobre Sua Eternidade e Onipotência: “Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.” Ele, também, disse: “... Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.” (Jo 8:58).
Entretanto, em dado momento da história, Jesus Cristo também Se tornou 100% Homem, pois Ele Se fez carne, ao Se encarnar neste mundo com um corpo físico (que Ele possui até hoje e que se tornou corpo glorificado, em virtude de Sua Ressurreição), com o objetivo de morrer em nosso lugar (morte vicária), tendo nascido e vivido sem pecado algum (Mt 27:24; Lc 23:4, 14, 47; Hb 4:15, 7:26, 9:14; 1 Pe 1:19). No evangelho segundo João, lemos: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.” (Jo 1:14). 
Diante disto, vemos que Jesus Cristo é 100% Deus (Mt 14:33, 27:54; Mc 1:1; Lc 4:41; Jo 1:49, 3:18, 8:23, 58, 10:30, 11:4, 27, 20:31; 2 Co 1:19; Hb 4:14; 1 Jo 5:10; 2 Pe 1:1; Ap 2:18; etc.), a Segunda Pessoa da Tri-Unidade Divina, e 100% Homem (Mt 8:20, 9:6, 12:8, 16:28, 25:31; Lc 24:7; Jo 3:13, 6:62; At 7:56; Ap 1:13, 14:14; etc.), concomitantemente, o que, para nós, é um mistério que devemos aceitar pela fé. As Escrituras nos revelam que: “E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória.” (1 Tm 3:16).

https://www.facebook.com/pages/CAPP-Centro-Apolog%C3%A9tico-Plenitude-da-Palavra/261446790581518?ref=hl


Quando DEUS trabalha o homem muda! 

Prof. Abdias Barreto. 
Contatos: (85).8857-5757. profabdias@gmail.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...